segunda-feira, 11 de maio de 2009

TETRACAMPEÃO


O FC Porto continua a sua caminhada triunfante no domínio hegemónico do futebol português, demonstrando cada vez mais que é demasiado forte para a realidade em que está inserido. O Tetra é o corolário lógico da organização de excelência, da competência, da estrutura sólida e, como disse Pinto da Costa recentemente, do saber escolher os melhores para servirem o clube. Um deles foi Jesualdo Ferreira. Dos quatro títulos ganhos, os três mais recentes foram conquistados pelo treinador transmontano, que reclama assim, para si, um lugar na história do FC Porto. É, juntamente com Artur Jorge, o único técnico que logrou alcançar três campeonatos para os 'dragões', sendo que no seu caso foram alçançados de forma consecutiva, facto inédito em todo e qualquer treinador português, no FC Porto ou noutro clube.

Após três épocas de trabalho no Dragão, cujos resultados foram sempre positivos, Jesualdo Ferreira experimenta, finalmente, algum reconhecimento por parte dos portistas e da crítica em geral. Mais vale tarde do que nunca! Como é sabido, 2008-09 não começou propriamente bem para a equipa azul e branca. O epicentro dessas dificuldades deu-se em Londres, diante do Arsenal, em que os portistas sofreram uma copiosa derrota por 4-0 para a Liga dos Campeões. O timoneiro portista, que até essa altura sempre teve mais detractores que admiradores, mesmo com dois campeonatos ganhos e duas carreiras europeias meritórias, foi autenticamente linchado na praça pública e quase toda a gente pediu o seu despedimento. Se na hora dos triunfos, nunca teve grande apoio popular e o seu contributo sempre foi desvalorizado (ou era a organização do FC Porto que fazia de qualquer treinador campeão, ou era o facto de ter herdado uma equipa já concebida por Co Adriaanse, ou era porque tinha melhor plantel que os rivais, etc), não era num momento de crise desportiva que iria ter opiniões favoráveis. Mas Jesualdo resistiu, a equipa melhorou, os resultados começaram a aparecer e o seu trabalho ao longo desta temporada foi demasiado evidente para não ser unanimemente reconhecido.

Até a equipa entrar numa espiral de vitórias, o trajecto foi sinuoso e difícil. O clube perdera no defeso Bosingwa, Paulo Assunção e Quaresma, três peças nucleares nas temporadas anteriores. Alguns jogadores de qualidade duvidosa foram contratados e, na sequência de alguns maus resultados e exibições, o cepticismo quanto à qualidade do plantel começava a subir exponencialmente. Na realidade, considero o plantel portista desta temporada mais fraco que o da anterior. Acho também que se compararmos jogador a jogador isoladamente, o Benfica, por exemplo, dispôs de mais e melhores recursos. É certo que hoje é mais fácil destacar algumas unidades portistas, fruto do crescimento colectivo e da dinâmica ganhadora que se gerou. Mas não nos esqueçamos da maneira como eram vistas algumas dessas unidades numa fase inicial. Sapunaru era medíocre, fraco a atacar e pouco fiável a defender. Cissokho era muito verde e denotava claras lacunas defensivas. Rolando e Fernando não passavam de jovens promessas. Rodríguez demorava a encontrar-se e a repetir o nível evidenciado no Benfica. Hulk era excessivamente individualista.

Assim ao acaso, acabo de mencionar seis nomes chegados ao FC Porto apenas nesta temporada e que fizeram parte do seu onze-base. Qualquer um deles bastante jovem e sem experiência ao mais alto nível - nenhum se tinha ainda estreado na Champions. O grande mérito de Jesualdo Ferreira foi precisamente esse: capacidade para pegar em meia-dúzia de novatos, mesclá-los com os mais experimentados e já 'residentes' no clube, fazê-los crescer no meio de uma pressão de ganhar asfixiante e sair campeão nacional. Desta vez não há forma de desvalorizar a sua prestação, a sua quota-parte de responsabilidade no título nacional. Muita gente foi obrigada a meter a viola no saco e render-se à evidência, da qual nunca duvidei: Jesualdo Ferreira pertence à elite dos treinadores portugueses e não recebe lições de muita gente.

Hoje em dia, depois de participarem num colectivo forte, com um modelo consolidado e uma forma de jogar aprimorada, Sapunaru apresenta-se muito mais seguro, Cissokho já é falado para a selecção francesa, Rolando já chegou à selecção portuguesa, Fernando é o pêndulo do meio-campo e o elemento que garante os equilíbrios da equipa, 'Cebola' Rodríguez pôs os benfiquistas a chorar e Hulk cotou-se como a grande sensação desta temporada no futebol português. Além disso, Mariano resolveu o seu problema de ansiedade e apareceu em grande sempre que a equipa precisou dele; Raúl Meireles confirmou que se trata de um médio fantástico, de categoria internacional mesmo; Farías mostrou que é felino dentro da área, tendo apontado uma excelente cifra de golos para o escasso tempo de utilização; Tomás Costa mostrou-se útil em certas ocasiões, apesar de algumas limitações. Tudo isto, note-se, numa época em que o duo Lucho-Lisandro esteve abaixo do seu rendimento normal (no caso de 'Licha', refiro-me apenas à fraca veia goleadora face ao ano transacto, visto que em termos de inteligência de jogo, participação no processo colectivo e espírito de sacrifício, manteve-se igual a si próprio: soberbo).

Este êxito foi obra de muita gente. Dos jogadores, destaco, fundamentalmente, Bruno Alves, Raúl Meireles e Hulk, e num segundo plano, Cissokho, Fernando, Rodríguez, Lisandro e Mariano. Mas um homem sobressai naturalmente e esse só pode ser Jesualdo Ferreira. A confirmação da sua continuidade para 2009-10 é apenas uma questão de tempo, só se estranhando a demora da SAD portista em torná-la pública, resolvendo fazer dessa questão um tabú quando não havia necessidade. Era escusado que Jesualdo tivesse estado sujeito a tanto falatório e a perguntas insistentes acerca do seu futuro em todas as conferências de imprensa. Julgo que merecia uma tomada de decisão mais determinada e, sobretudo, atempada por parte dos responsáveis portistas. Seria um prémio justo para o magnífico trabalho que vem desenvolvendo no Dragão.

Enquanto portista, gostaria de dedicar este Tetra a todos os infelizes que passaram a temporada a arranjar as mais variadas formas de depreciar os méritos de dirigentes, treinadores, jogadores, funcionários e adeptos do FC Porto. É também por vocês que cada vez me dá mais gozo festejar estas sucessivas vitórias. Que tal aprenderem com quem sabe, em vez de continuarem incompetentes toda a vida?

10 comentários:

Jotas disse...

"O campeonato acabou,resume-se apenas à discussão pela fuga à despromoção, a Europa e o título estão definidos, mas é preciso ter em atenção que esta liga, foi das mais mentirosas se sempre, que ficou irremediavelmente marcada por muita falta de verdade, demasiados e grosseiros erros de arbitragem, com nítidos reflexos em alguns momentos na tabela classificativa, sinceramente, apesar de achar que sempre houve e sempre vão haver erros, a verdade é que nunca vi tantos e tão graves com esta época e há muitas equipas com razões de queixa, até porque momentos houve na época, que clube houve que foram nitidamente impedidos de chegar ao 1º lugar, com os naturais reflexos psicológicos e motivacionais que daí iriam advir"
Esta minha ideia resume tudo o que penso desta liga, por isso é que esta época, não posso dar os parabéns a ninguém, ao contrário da época passada em que imediatamente dei os parabéns ao Porto. Sei que mais uma vez vais achar que não sei ver bola, que sou faccioso, etc, mas é o que penso, mas obviamente compreendo a tua felicidade neste momento, é justa na medida em que se viram jogadores do Porto que cresceram imenso ao longo da liga, já na sua conquista...
Mas gostaria de chamar a atenção à dimensão dada dos festejos do Porto, nenhum canal de televisão lhes ligou patavina, algum interrompeu as suas emissões? NÃO, lembram-se como foi com o título encarnado? Uma guerra enorme pelas audiências e isso o Porto não consegue vencer, porque simplesmente não se compra.

Miguel disse...

Parabéns pela conquista deste campeonato.

Abraço dum benfiquista amargurado.

Filipe Soares disse...

O Porto foi a melhor equipa a grande distância de todas as outras e só a já habitual estupidez da corja encarnada não reconhece o óbvio. Para essa escumalha o Porto ganha sempre por causa dos árbitros, da corrupção, disto e daquilo. Abrir os olhos para a realidade é que não é preciso. Deus os conserve assim por muitos anos.

Falando de coisas sérias, não sou, como sabes, um grande admirador de Jesualdo Ferreira, mas não tenho vergonha em reconhecer o seu mérito neste Tetra. E acho que tens razão quando dizes que este título é mais dele do que de qualquer outro. Mostrou muita competência ao formar uma equipa com muitos elementos novos e merece o reconhecimento de todos os portistas. Ainda assim, mantenho a opinião de que o ciclo dele no Porto está fechado e que o melhor para todos seria a sua saída. O Tetra não me fez mudar de opinião acerca do seu perfil de treinador, demasiado conservador para um clube como o Porto, na minha modesta opinião. Além disso, acho que se devia agarrar o Jorge Jesus o quanto antes, antes que vá parar ao galinheiro. O Jesus é o melhor treinador da Liga Sagres e será uma pena que vá para o Benfica.

Jogadores-chave nesta conquista: Bruno Alves, Hulk, Raúl Meireles e Licha. Revelação: Cissokho.

Danyro disse...

Olá bom dia sou administrador dum blog sobre o fc porto em http://dragaomadeirense.blogspot.com e queria saber da possibilidade de fazermos parceira e publicidade.
Que achas da proposta?
Cumprimentos
danyro

Bruno Pinto disse...

Filipe,

Discordo em absoluto da tua opinião acerca de Jesualdo Ferreira. O ciclo dele não está fechado. Esta equipa foi formada por ele apenas esta época e, se mantiver a espinha dorsal (mesmo saindo um ou dois jogadores), tem muita margem para crescer e poder ser melhor na próxima época. O ciclo desta equipa está ainda no começo e tem de continuar pelo mesmo rumo. Ora, se foi Jesualdo que a concebeu, tem toda a lógica que seja ele próprio a prosseguir no seu desenvolvimento. Daí que o ciclo de Jesualdo no FC Porto não está igualmente fechado, vai ainda a meio.

Eu aprecio muitíssimo o Jorge Jesus enquanto treinador, acho-o muito conhecedor e é um dos melhores que está em Portugal. Mas, olhando a realidade actual, acho que mandar embora o Jesualdo só para contratar o Jesus, seria um risco muito grande e poderia constituir um erro crasso. Seria deitar fora o trabalho já realizado por Jesualdo com esta equipa, para se começar tudo do zero. O Jesus é muito bom, percebo a tentação de se o contratar, mas acho que neste momento o bem do FC Porto é a continuidade de Jesualdo Ferreira. Quem sabe no futuro o Jesus não possa vir para o Dragão. Se tiver que ir agora para o Benfica, paciência...

Já agora, se tiver que sair alguém dos melhores jogadores, quem achas que devia ser? E quanto a entradas, que te parecem nomes como Nené, Rúben Micael, Marcinho ou Paulo Regula?

Vais ao Jamor? Eu vou... Abraço.

Filipe Soares disse...

Bruno,

Percebo o que queres dizer e tens sido coerente neste tempo todo na defesa do Jesualdo. Mas acho o Jorge Jesus um treinador claramente superior tacticamente e com uma mentalidade mais à medida do clube. O Jesus privilegia o bom futebol, a posse de bola e o ataque continuado. Gosto mais deste tipo de jogo para o Porto. Se ele viesse, não acho que desbaratasse todo o trabalho já feito e que fizesse uma revolução de plantel. Poderia fazer alguns ajustes mas nada mais que isso. Por outro lado, não queria nada vê-lo no Befica.

Sobre os jogadores a sair, eu penso que vão sair dois dos melhores jogadores, talvez o Bruno Alves e o Lisandro. Grandes jogadores, mas o Porto habituou-nos a suprir muito bem as ausências, mantendo o nível da equipa e as vitórias. Portanto não estou muito preocupado com isso. Desde que rendam, pelo menos, 20 milhões cada um, por mim tudo bem.

Acerca das entradas, também aplaudo a mudança da aposta para o mercado nacional, em vez do sul-americano. Orlando Sá e Miguel Lopes agradam-me, Varela tenho dúvidas mas há que dar o benefício ao jogador e dar-lhe tempo para se adaptar. Sobre os que sugeres, Nené e Micael seriam excelentes contratações. O Regula não conheço o seu valor.

Este ano acho que não vou à pocilga de Oeiras, mas ainda não é certo, depois digo-te.

Abraço.

gerson disse...

Já ficou sem graça, hehehe. Parabéns!

Esquemas táticos disse...

Parabéns ao Porto pelo tetracampeonato. Parabéns pelo blog também, muito bem escrito e organizado. Abraços.

Marcelo Costa.

Rafael Andrade disse...

Parabens ao teu Porto pelo tetra campeonato e lamentações pelo golaço do Cristiano no Estádio do Dragão. Valeu pela visita, estarei sempre aqui no seu blog e te aguardo no meu. Valeu!

Miguel Lourenço Pereira disse...

Bruno,

Agradeço a visita e o comentário.

Aproveito também para dar-te os parabens pelo excelente trabalho na Paixao do Futebol.

Um abraço