domingo, 28 de setembro de 2008

ENSAIO PARA LONDRES


O FC Porto voltou à normalidade e venceu o Paços de Ferreira, no Dragão, por 2 - 0. O momento não era o melhor. Depois do empate em Vila do Conde, o FC Porto passou uma semana algo intranquila, sobretudo ao nível dos seus adeptos, que, por estarem habituados a ganhar compulsivamente, tornam-se demasiado exigentes e, por vezes, até irracionais. Não percebem que o FC Porto perdeu três jogadores cruciais em relação à época passada e é uma equipa em fase de remodelação e consolidação de processos colectivos, com vários jogadores novos e muitos deles já titulares, necessitando, portanto, de algum tempo para que atinjam o nível exibicional que Jesualdo Ferreira pretende.

Quando se ganha 3 - 1 ao Fenerbahçe, num jogo da Champions e, mesmo assim, se recebem assobios no próprio estádio, está tudo dito quanto ao elevadíssimo grau de exigência dos adeptos portistas. Por isso, depois do nulo e do desempenho cinzento defronte do Rio Ave, era expectável que as críticas destrutivas subissem de tom e se começasse, por um lado, a pedir a cabeça do treinador e, por outro, a depreciar o valor dos jogadores. O adepto de futebol é, por norma, uma pessoa pouco inteligente, que quer sempre bom futebol e que tende a analisar os jogos isoladamente, sem cuidar de os inserir no contexto vigente. Quando a vitória faz parte do seu quotidiano, essa pouca inteligência transforma-se em irracionalidade pura, que é aquilo de que padece uma grande parte dos adeptos do FC Porto. Querem sempre vitórias e grandes exibições, em casa e fora; o facto de muitos elementos serem jovens e estarem na primeira temporada no clube é para eles irrelevante. Enquanto portista, sou apologista da exigência, mas também da racionalidade, pelo que se deve exigir à equipa aquilo que ela pode dar em cada momento. O FC Porto não se tem exibido em grande nível, nem outra coisa era de esperar, mas tem conseguido bons resultados (a excepção foi a igualdade em Vila do Conde) e esse factor é o mais importante nesta fase.


FC PORTO - P.FERREIRA

Sobre o jogo, foi uma vitória justa, sem grande brilhantismo e com alguns períodos de futebol algo cinzento, que valeu essencialmente pela excelente entrada portista no encontro. Até ao belo golo apontado por Raúl Meireles, o caudal ofensivo azul e branco foi intenso e as jogadas nas imediações da área pacense sucederam-se. O FC Porto teve posteriormente novas oportunidades para dilatar a vantagem, das quais se destaca um falhanço de Lisandro, que continua muito perdulário neste início de época. Neste período de maior fulgor, Meireles foi o melhor elemento, comandando, na falta de Lucho, toda a organização ofensiva caseira, chegando perto da área adversária inúmeras vezes e assegurando a circulação da bola com sabedoria. Igualmente em bom plano estiveram Tomás Costa, Lisandro, Rodríguez e Lino.

A partir de determinada altura o FC Porto desacelerou e o jogo tornou-se monótono, lento e mal jogado. Esta quebra de qualidade prolongou-se pela segunda parte, razão pela qual o Paços conseguiu subir as suas linhas e ser mais incomadativo e pressionante, levando os portistas a falharem alguns passes nas transições e a jogar mais devagar. Helton sofreu então alguns calafrios, embora sem significado de maior. Os assobios fizeram-se ouvir nas bancadas do Dragão.

Sem nunca alterar o 4-3-3, Jesualdo Ferreira mexeu e bem na equipa, operando duas substituições em simultâneo que me pareceram totalmente acertadas. Candeias entrou para o lugar do inerte Farías - andou a dormir no relvado e, mais uma vez, não aproveitou uma oportunidade que lhe foi concedida -, o que fez Lisandro ocupar o centro do ataque. Sapunaru, displicente em alguns lances, justificou a saída, entrando Guarín para o miolo e gerando o recuo de Tomás Costa para lateral-direito. Por mim, nada a dizer, até porque Candeias se mostrou bastante activo (apesar de algumas perdas de bola) e Tomás Costa mostrou que pode ser uma alternativa bastante credível para jogar na lateral direita defensiva. Posiciona-se bem, é seguro em posse de bola e, não sendo muito rápido, tem bons pés e boa leitura, o que lhe pode permitir dar uma profundidade interessante ao flanco.

Mais tarde, a entrada de Hulk para o seu lugar de origem revitalizou a equipa, ao mesmo tempo que preservou Lisandro para o jogo com o Arsenal. O FC Porto partiu então para uma parte final um pouco melhor, com mais algumas oportunidades de golo e controlando mais calmamente os movimentos do Paços. Excelente golo do 'Incrível', a culminar uma magnífica combinação com Meireles.


O DESAFIO LONDRINO

Para o jogo de Londres, estou em crer que o sistema portista será o 4-1-4-1 utilizado na Luz, com Fernando a pivot-defensivo, Tomás Costa a médio-ala direito, Rodríguez no flanco oposto, Lucho e Meireles na faixa central e Lisandro na frente. Dependendo da dinâmica que os jogadores conseguirem imprimir a esta configuração táctica, à partida mais conservadora, parece-me ser uma excelente aposta para conseguir um bom resultado no Emirates Stadium. Como se sabe, o FC Porto controlou grande parte do jogo com o Benfica e o Arsenal joga, tal como os encarnados, em 4-4-2 clássico.

O Arsenal é uma grande equipa, tem jogadores de indubitável qualidade (Fabregas, Walcott, Van Persie, Adebayor...) mas não chegam para assustar, como demonstrou o Hull City no último jogo da Premier League. O segredo passará por conseguir fazer uma pressão efectiva ao portador da bola, que impossibilite de algum modo o futebol curto e de trocas de bola constantes tão característico dos 'gunners'. Se isto não acontecer, o FC Porto pode vir a passar um mau bocado. Deve haver muita atenção aos corredores laterais dos londrinos, sendo uma das principais preocupações não dar espaço de embalo ao supersónico Walcott, que previsivelmente actuará no lado direito (nunca colocaria Lino como lateral-esquerdo). Ao mesmo tempo, Tomás Costa e Rodríguez devem vigiar bem de perto as constantes subidas de Sagna e Clichy. Se tudo for como espero, o FC Porto poderá conseguir ter superioridade numérica no miolo, com Fernando, Meireles e Lucho para Fabregas e Denilson, algo que significará uma crucial vantagem, especialmente se Lucho se conseguir libertar para o espaço vazio entre-linhas concedido pelo Arsenal. Lisandro, se mantiver a capacidade de luta habitual, será importante para fixar os dois centrais em terrenos recuados, não deixando que nenhum suba com a bola dominada e pronto a criar desequilíbrios, fundamentalmente Gallas, que é perito nessas situações.

Isto no papel é tudo muito simples, algo que, por vezes, a prática vem desmentir. O factor de maior importância será, quanto a mim, a dinâmica que o FC Porto conseguir impor e a mentalidade com que entrar no imponente Emirates. Será fundamental, numa primeira fase, contrariar o jogo de posse de bola e constante movimentação dos londrinos, para que, numa fase posterior, se possa começar a pensar em chegar com perigo à baliza de Almunia, algo perfeitamente possível, se Lucho, Meireles, Rodríguez e Lisandro estiverem na plenitude das suas faculdades e mentalizados para vencer. Para que isto se verifique, será vital que o FC Porto se estenda bem no campo e consiga pressionar longe da sua baliza, porque senão pode ser a morte do artista. Colocar um 'autocarro' cá atrás e esperar passivamente pelo Arsenal, deixando-se envolver na sua teia atacante, será como dar um tiro na própria cabeça. Estou convencido que, desta vez, o FC Porto não vai perder no Emirates. Terça-feira se verá.

21 comentários:

Maestro disse...

Caro adepto de um clube assumidamente corrupto.

Agora que começam a ser tratados de forma igual aos outros clubes já reclamam não é?
Vão-se habituando...

Bruno Pinto disse...

Maestro,

Ser tratados de forma igual? Tens a certeza? Em Vila do Conde, ficou um penalty por marcar a favor do FC Porto por mão na bola. Prejuízo de 2 pontos. Em Paços de Ferreira, penalty para o Benfica por mão na bola. 3 pontos. Igualdade? Onde?

Na Luz, o Luisão devia ter vindo para a rua aos 4 minutos por agressão a Sapunaru, não veio. O jogo deu empate. Caso o Luisão tivesse sido expulso, não sei não. Igualdade? Onde?

Em Paços, num jogo muito equilibrado até ao final, Nuno Gomes devia ter sido expulso e não foi, o Benfica pôde lutar pela vitória com 11 e não com 10, como se impunha. Igualdade? Onde?

Sobre o 'assumidamente corrupto', o Apito Dourado e demais hipocrisias, é uma discussão já muito batida, obviamente que não vou estar a perder o meu tempo com isso.

Aliás, não costumo responder a espantalhos, pelo que hoje é o teu dia de sorte...

Jotas disse...

Caro Bruno, vejo com algum espanto que aquela tua racionalidade de abordar e comentar os jogos, de mostrares que sabes verdadeiramente ver o futebol está a esmorecer, será por veres um porto não tão forte? Será por aquela equipa que não vale nada do Benfica estar a melhorar? Não creio, prefiro continuar a pensar que és aquele Bruno que explica um jogo melhor que ninguém sem facciosismos exacerbados, tu caro Bruno tens essa capacidade não a percas.
Quanto ao Poro - Paços, parece-me como sabes, porque já leste muitos dos meus posts, que como venho dizendo, este Porto não está tão forte, menos compacto, mas essencialmente com as transicções a serem feitas de forma muito mais lenta e previsível, acho que concordas quando digo que o Porto não colmatou as saídas de jogadores com a enorme qualidade de Quaresma, Bosingwa e Paulo Assunção, com jogadores do mesmo nível e isso reflecte-se no rendimento da equipa.
Boa sorte para a semana europeia para todos os clubes nacionais, todos lucram com isso.

Jotas disse...

Quanto ao meu post sobre Jesualdo, companheiro Bruno, permite que te trate assim, aceito a tua opinião, embora obviamente discorde, naturalmente cada um de nós acaba por absorver aquilo que na verdade mais enificia o seu clube, mas na verdade ao contrário do que dizes,há provas e muitas, as escutas, são transcricções e não diz que disse, não é nada inventado, como a palavra diz são coisas transcritas, aliás como sabes, nunca se discutiu o conteúdo dessas escutas, mas sim a sua legalidade ou não, a mim sinceramente não me interessa o que a justiça diz,a mim interessa-me aquilo que sei e a minha convicção pessoal, se estou certo ou errado nisso não sei, sou assim e pronto. Mas também te digo, para mim a corrupção existiu e muta, mas foi nos anos 80 e 90 (atenção que já tinha nascido, falo doi que VI ), era uma vergonha, mas nessa altura não haviam escutas, daí só agora ficamos todos a saber o modo como as coisas eram feitas.
Justiça? Imagina e isto é só imaginar, Eu era Juíz do Tic do Porto, casado, Pai de filhos, mas conhecia muita gente, ás vezes saía e tal, calor da noite, etc, depois o meu amigo que até me fornecia umas moçoilas boas era apanhado em escutas telefónicas que envolviam corrupção e o caso ia para as minhas mãos. Entretanto teria de julgar o caso,mas uns telefonemas dizem-me: Não queres que diga á tua mulher o que andaste a fazer na noite, ve lá o que fazes pá, estrago-te a vida familiar, etc. É d caraças ter de decidir contra essas pessoas quando o cerco está tão bem montado.

Bruno Pinto disse...

Jotas,

Obviamente que sou o mesmo Bruno, que adora futebol, gosta de analisar jogos de futebol da forma que acho mais correcta e sem grandes clubismos. Analisar jogos é uma coisa. O que não gosto é de ver o meu clube sofrer ataques injustificados. Isso é outra coisa completamente diferente.

Dizes-me que as escutas não são imaginação. Nesse caso, dir-te-ei que Luís Filipe Vieira também já foi apanhado nas escutas a escolher árbitros, a dizer que 'este serve' e 'aquele não serve', a dizer que faria as coisas 'pelo outro lado'. Se dizes que na época 80 e 90 não havia escutas, eu também te digo que em 60 e 70 muito menos. Também posso perguntar porque é que apenas algumas pessoas foram alvo das escutas e não a totalidade dos agentes do futebol. LFV foi apanhado numa das escutas que tinha como alvo Valentim Loureiro. Pergunto o que se poderia saber se o alvo fosse LFV e ele andasse a ser escutado durante meses a fio.

Há muitas dúvidas no ar, estou convicto que não há santinhos neste meio e acho profundamente hipócrita que se coloque Pinto da Costa no eixo do mal e LFV como porta-estandarte da verdade desportiva, quando TODOS sabemos que não é assim.

Ainda há bem pouco tempo, António Boronha, antigo dirigente, escreveu no seu blog que a oferta de presentes e jantares antes dos jogos era uma prática seguida por TODOS os clubes. Porque raio o Apito Dourado definiu alvos concretos e não procurou investigar o futebol português na sua totalidade?

Há muitas dúvidas que ficam, cada um é livre de fazer os juízos que entender, agora uma coisa é certa: a justiça existe para alguma coisa e é ela que tem de averiguar a existência ou não de irregularidades. Até agora, caro Jotas, nada foi provado nos tribunais.

Há outra coisa que também devo dizer. Eu tenho visto com os meus próprios olhos a superioridade do FC Porto, a nível futebolístico dentro do campo ao longo das duas últimas décadas. Isto não é fantasia, eu vi o FC Porto jogar muito mais futebol que os outros e a alcançar vitórias atrás de vitórias porque temos sido melhores lá dentro. Não vou deixar, de forma nenhuma, que me toldem o raciocínio e me queiram impingir a ideia de que o FC Porto ganhou à custa da corrupção, como fizeste no teu post. A realidade é diferente e essa eu vi. Não preciso de Apitos, de escutas ou da opinião dos outros para ver que o FC Porto tem ganho tantas vezes porque, pura e simplesmente, tem sido melhor, tem jogado mais futebol, tem tido os melhores jogadores, os melhores treinadores e, já agora, o melhor presidente.

Daniel Leite disse...

Atuar contra o veloz Arsenal em Londres é terefa terrível. No entanto, os acontecimentos recentes revelam boas possibilidades para o Porto. Na UCL, os Gunners não começaram bem, empatando com o Dinamo com sérias dificuldades. O Porto, ao contrário, venceu o Fenerbahçe com notável autoridade.

E o final de semana é um fator que agrega pontos a este raciocínio. O Porto recuperou-se, vencendo o Paços. Já o Arsenal, acreditemos, perdeu em casa, merecidamente, para o traiçoeiro Hull City. Geovanni - os adeptos do Benfica hão de se lembrar - fez um gol genial!

O jogo será duro. Se fosse jogar na Loteria Esportiva, apostaria num "duplo": vitória do Arsenal e empate.

Até mais!

Jotas disse...

Para por um ponto final nesta questão caro Bruno, é óbvio que em muitas das vitórias do Porto existe um grande mérito, seria falta de inteligência da minha parte dizer o contrário, nem nunca pretendi dizer que o Porto só venceu com base na corrupção, embora já haja uma condenação ao nível desportivo prontamente aceite e reconhecida pelo Porto.
Mas adiante, se bem te lembras na década de 80 e principios de 90, o Benfica também tinha grandes quipas, com jogadores como Then, Shwarz, Valdo,Mozer, Ricardo Gomes, Isaías, João Pinto, Paneira, etc e o Prto também, mas na verdade é que em algumas épocas por motivos alheios a um mero jogo, vi o Benfica a não conseguir ganhar u ou outro campeonato porque havia muitos fenómenos estranhos a empurrar outra equipa para cima.Mas pronto, é óbvio que o Porto também tinha grandes quipas e ganhou com muito mérito muitos dos seus campeonatos, tamb´m não tenho dúvidas que o meu clue não ganhou alguns porque foi impedido.
Um abraço e boa sorte para amanhã e já agora para o meu clube na 5ª feira, bem vai precisar.

Paulo Pereira disse...

Bruno,

Não poderia estar mais de acordo quanto à exigência de recionalidade na nossa massa associativa. É espantoso como a memória de alguns, aliada à falta de cultura desportiva e parcos conhecimentos sobre futebol, toldem a capacidade de perceber que este Porto é uma equipa ainda à procura de identidade, em mutação, mas mantendo-se fiel aos seus princípios de jogo.

E, exceptuando o jogo da Supertaça, com a derrota a valer a perda de mum troféu, os azuis e brancos têm-se saído razoavelmente bem deste início de época complicado. 2 empates em 4 jogos, analisados de forma estatística, prenunciam um mau início dos Dragões. Mas, se analisarmos que um deles foi obtido em casa de um rival directo e outro fruto de um péssimo jogo, em Vila do Conde, terreno onde sempre encontramos enormes dificuldades, contata-se que afinal a propalada crise será apenas fictícia...

Na Champions temos um jogo de enormíssima dificuldade, frente a um dos grandes de Inglaterra, com um orçamento inconmensuravelmente superior. Mas, só pelo simples facto de todos, independentemente do quadrante clubista, falarem de uma possível vitória portista, atesta bem o patamar onde o Porto se encontra.

Confesso que não me sinto muito optimista. Os gunners apresentam-se como um clube explosivo, sólido, com vários elementos capazes de desiquilibrarem. Nem a recente derrota perante o Hull servirá para mostrar uma fragilidade que está longe de existir...

Com Fabregas a dinamizar o jogo arsenalista, com 2 avançados que se complementam na perfeição, como Van Persie e Adebayor [e com Brendtner e Vela à espreita], com Walcott a fustigar o flanco esquerdo, o Porto pode mesmo assim aproveitar alguma inconsistência exibicional de Clichy, do lado esquerdo da defesa.

Acedito que com uma boa estratégia, uma enorme entreajuda, um meio-campo reforçado, o Porto poderá resistir ao assédio que se prevê. E, quem sabe, não é desta que quebramos a malapata?

Filipe Soares disse...

Bruno,

Essa questão dos assobios é complicada. Eu não sou de assobiar (nem sei sequer eheh), mas fui ver o Porto-Paços ao Dragão e, tirando os primeiros 20 minutos, o jogo foi uma pobreza. Eu sei que o Porto tem muitos jogadores novos, está a tentar colmatar saídas muito importantes e é ainda uma equipa em construção, mas tens que convir que pagar um bilhete para ver um espectáculo de fraquíssima qualidade provoca desilusão e irritação. Os adeptos podiam ser mais tolerantes, mas os jogadores não têm que vir reclamar dos adeptos para a Comunicação Social, como fez o Nuno recentemente. Não têm mesmo! Eles estão no futebol a ganhar o deles, nós estamos no futebol a pagar. Eles devem treinar, jogar e estar caladinhos.

Com o Paços de Ferreira, gostei mesmo muito da exibição de Raúl Meireles. Está um senhor jogador, foi o patrão do meio-campo e ainda marcou um golão e deu outro a marcar. De 0 a 10, 9 valores. Foi bom ver que podemos vencer sem o Lucho. O Lisandro também esteve bem, sempre com a sua entrega ao jogo no máximo, mas a sua falta de eficácia começa a ser preocupante. Um jogador que jogue naquela posição não pode falhar tanto. Tem falhado golos feitos em quase todos os jogos. Estes foram os dois melhores jogadores, numa exibição globalmente má.

Para o Arsenal, aquilo que mais quero é que o Jesualdo Ferreira não invente. Ele tem uma tendência suicida para inventar nos jogos fora mais difíceis da Liga dos Campeões, e jogar muito na retranca, na contenção, à defesa e a jogar para o pontinho. O Porto é um grande clube, não pode jogar para o empate seja com quem for. Nas 3 últimas idas a Inglaterra (Arsenal, Chelsea e Liverpool), ele inventou sempre. Resultado: perdemos copiosamente e fomos atropelados em jogo jogado. Por isso, não concordo com o teu 4141. Ele que não tenha medo e jogue no 433 habitual. Não há que mudar em função do adversário, há que ter personalidade e jogar da mesma maneira independentemente do nome do adversário. Sinceramente não estou muito confiante, mas se perdermos, ao menos que possamos dizer que jogámos o jogo pelo jogo e quisemos ganhar. Perder por falta de ambição será o pior que pode acontecer.

Coragem Jesualdinho! O Adebayor à beira do Bruno Alves é um menino! É com este discurso que ele deve motivar a equipa. Mas reconheço que não estou muito confiante, oxalá esteja enganado.

Bruno Pinto disse...

Filipe,

Eu estou convicto que o 4-1-4-1 que o Jesualdo apresentou na Luz é mesmo o melhor sistema para anular o 4-4-2 clássico do Arsenal, que, como se sabe, é muito forte pelas faixas laterais e faz dos ritmos altos uma das suas principais características. No fundo, o 4-1-4-1 é um 4-3-3 mas com os extremos transformados em médios-ala, precisamente para obstar ao poderio dos corredores laterais dos ingleses. Não penso que isto sejam invenções, apenas ser inteligente, tentando anular um ponto forte do adversário. Isto não é uma opção defensiva, como muitos podem pensar. É apenas a forma correcta, a meu ver, de controlar melhor o jogo e não ser engolido pela teia atacante do Arsenal. Se bem te lembras, na Luz, com esse sistema, dominámos grande parte do jogo.

Acho que uma das chaves do jogo poderá ser a superioridade portista que previsivelmente acontecerá no meio-campo, podendo libertar Lucho ou até Meireles para o espaço grande que o Arsenal deixa entre a defesa e o meio-campo. Se o FC Porto não se encostar demasiado atrás (é um dos meus receios e espero que isto não suceda) e tiver a dinâmica de jogo adequada, o 3 para 2 no miolo pode ser um factor fulcral a nosso favor. Por outro lado, é bom que Fernando esteja muito atento às accções de Fabregas, o grande estratega dos 'gunners'. Espero igualmente que Lino não seja o lateral esquerdo, porque é muito débil no aspecto defensivo e é de esperar que a médio-ala direito actue o supersónico Walcott... O Benítez também não me inspira grande confiança, mas penso que para hoje será melhor escolha que Lino.

Estou convencido que hoje o FC Porto não vai perder em Londres, embora seja preciso não esquecer que o Arsenal é uma equipa consolidada, ao contrário do FC Porto, que se encontra ainda em remodelação e construção. Espero que não haja críticas injustas e irracionais, em caso de derrota. O Arsenal não mete medo mas é uma equipa forte, nesta altura mais forte que o FC Porto.

Ruben disse...

Acho que o Porto hoje perde por 3-0. Não vai aguentar a pressão do ambiente e do próprio Arsenal. E o Jesualdo convocou o Stepanov, vai sair invenção para defesa esquerdo.

Três secos no bucho. Vai uma aposta?

gerson disse...

a torcida tem q pegar leve. Houve perdas importantes no time, e o Porto está firmando-se aos poucos.
Grande abraço

Jotas disse...

Fez de facto um bom resultado, atendendo ao que podria ter acontecido, o Porto teve mesmo á beira de fazer história na champions ao ser a primeira equipa a passar casa das dezenas, por isso bom resultado.
Contudo continua tudo na mesma e o Porto com as posbilidades intactas de se apurar para os 1/8, mas para isso tem de melhorar muito.

Nuno disse...

"Estou convencido que, desta vez, o FC Porto não vai perder no Emirates."

Boa previsão, Tirésias. Já pensaste ser cartomante?

Gonçalo disse...

"Estou convencido que, desta vez, o FC Porto não vai perder no Emirates."

Quero ver qual é a volta que vais dar para explicar mais este disparate...

Bruno Pinto disse...

Gonçalinho,

A pachorra já se foi, mas há sempre uns créditos em caixa para responder a comentários otários. Não tenho que dar volta nenhuma. Se leres o meu post, verás que o que eu achava que era vital acontecer para que o FC Porto não perdesse, não se verificou, nomeadamente pressionar longe da área e não se deixar envolver na teia atacante do Arsenal. Aos 10 minutos, mediante o desenrolar dos acontecimentos, não prevendo uma derrota tão pesada, ficou claro para mim que dificilmente o FC Porto não perderia.

Disparate é jogar no totobola à segunda-feira, fazer figura de pacóvio, achando que se é o maior, passar a vida a falar das mesmas coisas durante 100 posts e depois ainda te achares no direito de vires mandar postas de pescada, quando, na verdade, todos já perceberam que és mais um que polui a blogosfera com futilidades e matérias que não interessam ao Menino Jesus.

Limitei-me a traçar um prognóstico antes de o jogo acontecer, dizendo o que achava que deveria ser feito. Nada do que eu disse foi feito e o FC Porto levou 4 secos. Paciência, acontece. O que é patético é vir opinar sobre um resultado, sem que seja conhecida a tua opinião prévia. És o verdadeiro Zé Povinho do futebol, sem fundamentos, sem conteúdo, sem conhecimentos. Afinal, o verdadeiro adepto do maior espectáculo do mundo!

Já arranjavas uma vida decente. Crises existenciais?

Nuno disse...

"Disparate é jogar no totobola à segunda-feira, fazer figura de pacóvio, achando que se é o maior, passar a vida a falar das mesmas coisas durante 100 posts e depois ainda te achares no direito de vires mandar postas de pescada, quando, na verdade, todos já perceberam que és mais um que polui a blogosfera com futilidades e matérias que não interessam ao Menino Jesus."

Tendo em conta a necessidade compulsiva que tens de falar sobre o que nós escrevemos, ninguém diria que era assim tão fútil. Aliás, útil deve ser falar apenas do Porto e com os olhos vendados, como o fazes aqui, não? Cresce, pá... E podes responder a mim. Se te der mais jeito, se tiveres vergonha, fá-lo em anónimo, que eu não me importo. Até já me habituei...

Gonçalo disse...

Gonçalinho,

A pachorra já se foi, mas há sempre uns créditos em caixa para responder a comentários otários. Não tenho que dar volta nenhuma. Se leres o meu post, verás que o que eu achava que era vital acontecer para que o FC Porto não perdesse, não se verificou, nomeadamente pressionar longe da área e não se deixar envolver na teia atacante do Arsenal. Aos 10 minutos, mediante o desenrolar dos acontecimentos, não prevendo uma derrota tão pesada, ficou claro para mim que dificilmente o FC Porto não perderia.

Disparate é jogar no totobola à segunda-feira, fazer figura de pacóvio, achando que se é o maior, passar a vida a falar das mesmas coisas durante 100 posts e depois ainda te achares no direito de vires mandar postas de pescada, quando, na verdade, todos já perceberam que és mais um que polui a blogosfera com futilidades e matérias que não interessam ao Menino Jesus.

Limitei-me a traçar um prognóstico antes de o jogo acontecer, dizendo o que achava que deveria ser feito. Nada do que eu disse foi feito e o FC Porto levou 4 secos. Paciência, acontece. O que é patético é vir opinar sobre um resultado, sem que seja conhecida a tua opinião prévia. És o verdadeiro Zé Povinho do futebol, sem fundamentos, sem conteúdo, sem conhecimentos. Afinal, o verdadeiro adepto do maior espectáculo do mundo!

Já arranjavas uma vida decente. Crises existenciais?"

Vós sois incrivel. Em tudo. Quer nas patetices que escreve, quer na incapacidade de admitir que errou.

Depois, nem coordenar as suas ideias(?) consegue. Se não vim cá anteriormente gozar com a sua patetice, foi porque não tenho vida para ler as mesmas.

Admito que depois de ver o massacre que a sua equipa levou, pensaei que seria curioso ver qual a sua análise ao jogo. Infelizmente ainda não a fez, mas espero que a faça, pois pérolas como as suas não são de deitar fora.

Acho que deve ter mais"tento na lingua". Desta forma evita ser ignorante e mal-educado. Passa apenas a ser ignorante. Um grande abraço, cheio de carinhos e miminhos.

Bruno Pinto disse...

Gonçalinho,

Não quero saber se tens tempo ou sequer interesse em cá vir, porque isso é um problema exclusivamente teu. O facto de vires cá ou não, para mim, é igual ao litro! A tua opinião sobre mim, obviamente que também me passa ao lado. Ao dizeres que não tens vida para ler as minhas maravilhosas pérolas, é porque, de uma forma geral, desconheces aquilo que eu escrevo. Presumo então que cada vez que matas a tua curiosidade, entrando no meu fantástico espaço, seja apenas para vomitar a tradicional 'bitaitada' tão característica do Zé Povinho. Nada contra. Cada um é como é.

As melhoras!

Eugeniu Dodonu disse...

vamos la ver contra o sporting se FCP se safa, depois da derrota frente ao arsenal, boa sorte

Tiagojcs disse...

"Estou convencido que, desta vez, o FC Porto não vai perder no Emirates. Terça-feira se verá. "

Deve ser por isso que perdeste o piu ... ahahahahahah viva o Porto !!!