terça-feira, 17 de junho de 2008

PROVA DE FOGO


Aí está a primeira verdadeira prova de fogo da Selecção Nacional neste Euro'2008. A Alemanha é o adversário nos quartos-de-final e é aqui que se verá se os pupilos de Scolari têm ou não estofo para lutar pelo título europeu. Até agora os oponentes foram valorosos mas não o suficiente para colocar em sentido os jogadores portugueses. Desta vez, surge no caminho uma das maiores potências do futebol mundial, uma das selecções mais tituladas de sempre. Acresce a circunstância de o jogo ser a eliminar, o que aumenta consideravelmente o grau de pressão.

Não obstante a diferença de historial entre Portugal e Alemanha, com larguíssima supremacia dos germânicos, é hora de pensar no presente. E o presente diz-nos que Portugal é superior a nível individual. Resta saber se colectivamente essa vantagem de qualidade se fará sentir. Para tal, ajudará bastante que Luíz Felipe Scolari não se encolha e não comece a inventar problemas, pensando que está a arranjar soluções. Que quero dizer com isto?

Portugal actua normalmente em 4-3-3 e a Alemanha em 4-4-2 clássico. Não havendo razões para acreditar em mudanças, à partida, não se verificará um encaixe táctico, daí que a sagacidade dos treinadores possa assumir um papel fundamental. A distância entre Portugal realizar um bom jogo e passar por dificuldades, poderá estar numa simples opção central de Scolari: João Moutinho ou Fernando Meira? Se optar pelo médio do Sporting estará a dar uma prova de personalidade, mantendo o estilo de jogo e a identidade da própria equipa que comanda. Se, pelo contrário, escolher Meira, mostrará receio, alterando os princípios básicos da equipa, para se adaptar à turma alemã.

Oxalá esteja enganado, mas estou com a sensação que o brasileiro talvez escale um meio-campo composto por Meira, Petit e Deco. Se assim for, erro do tamanho do mundo. Scolari desvirtuaria a nossa equipa, para se moldar aos alemães, não estando disposto a correr quaisquer riscos, pelo menos na sua cabeça. Pois para mim, este é o grande risco de ficarmos pelo caminho. Uma opção destas significaria debilitar o meio-campo, perdendo capacidade de posse e de passe, seria uma escolha deliberada em actuar com o bloco mais baixo, deixando os homens da frente menos apoiados, forçando-os a acções individuais e potencialmente mais inconsequentes. Tudo para não ter de jogar lá atrás em igualdade numérica, com Pepe e Carvalho para Klose e Podolski. Neste caso, Meira encostar-se-ía mais aos centrais, ficando um a sobrar. O meio-campo ficaria entregue a Petit e Deco que teriam pela frente Frings e Ballack. As equipas ficariam então mais encaixadas, ganhando relevo os duelos individuais, as parelhas formadas nas diversas posições pelos jogadores de ambas as equipas.

Mantendo Moutinho como titular (mesmo podendo trocar simplesmente Petit por Meira, algo que até compreenderia), assumindo o risco de jogar em igualdade numérica no sector defensivo, a selecção poderia gozar de superioridade numérica no miolo, com Moutinho e Deco a assegurar supremacia nas trocas de bola e mantendo os homens da frente bem mais suportados. A ligação entre sectores seria, desta forma, bem maior. Não existindo o tal encaixe táctico, existiria a primazia das dinâmicas colectivas sobre os duelos individuais. Confiando na qualidade dos centrais lusos para jogar 2 para 2, o elemento a mais no centro do terreno poderia ser a chave do jogo, pois constituíria uma forma de Portugal poder actuar em posse, controlar o jogo, manter a bola no meio-campo adversário e jogar mais perto da baliza contrária. Claro que isto exigiria muita atenção na transição defensiva, uma vez que seria de prever que a Alemanha se 'especializasse' no contra-ataque.

Ou seja, torço veementemente para que Scolari não se acovarde, confie na qualidade dos jogadores que tem à disposição e mostre, sem reservas, que quer ser campeão europeu. O meio-campo só tem de ser Petit (ou Meira), Moutinho e Deco. Sem invenções. Neste caso, à superioridade numérica alemã na defesa, responderia Portugal com superioridade numérica no meio-campo, numa opção arrojada mas racional. O jogo português tem de se basear nos nossos pontos mais fortes. Se somos mais talentosos e melhores tecnicamente, o nosso jogo tem de cultivar a posse de bola e não o confronto físico. Isto não me parece possível com Meira e Petit ao mesmo tempo. Adicionalmente, se Simão (e não Ronaldo) se mantiver atento às subidas de Lahm, se Bosingwa conseguir secar Schweinsteiger, e se Petit cobrir a sua zona de forma correcta, não deixando Ballack lá penetrar, ora para rematar ora para assistir, podemos sonhar com as meias-finais. Portugal tem melhores jogadores e tem tudo para vencer a Alemanha. Veremos o que Scolari pensa disso...

Equipa provável da Alemanha (4-4-2 clássico): Lehmann; Friedrich, Mertesacker, Metzelder, Lahm; Fritz, Frings, Ballack, Schweinsteiger; Klose, Podolski.
Equipa de Portugal para ganhar à Alemanha (4-3-3): Ricardo; Bosingwa, Pepe, Ricardo Carvalho, Paulo Ferreira; Petit, João Moutinho, Deco; Simão, Nuno Gomes, Cristiano Ronaldo.

7 comentários:

Filipe Soares disse...

Acho que Portugal vai ganhar o jogo. Como disseste e muito bem, temos melhores jogadores e nos 2 primeiros jogos fomos fortes colectivamente. Já a Alemanha só jogou alguma coisa contra a Polónia, pois com a Croácia e a Áustria foi a pobreza que se viu.

Opções de Scolari: tb espero que jogue o Moutinho e concordo com tudo o que escreveste acerca dessa opção em vez de Meira. Acho até que Meira não deve jogar no lugar de Petit, tem muito mais tentação de se colar aos centrais e isso será mau para Portugal. E depois o Meira é um jogador muito lento, não é uma boa escolha para o onze. Do que escolheste fazia duas alterações: Nani por Simão e Hugo Almeida por Nuno Gomes.

O meu prognóstico é 2 - 0 para Portugal. Ronaldo e Ricardo Carvalho.

Ruben disse...

Já cá não vinha há uns tempos e, apesar de estar muitas vezes em desacordo com o Bruno, tenho de dizer que este texto está muito bom. Também acho que será um erro se Scolari tirar o Moutinho só para dar centímetros à selecção, pois disvirtua a nossa típica forma de jogar, com a bola rente à relva de pé para pé. Portugal deve circular a bola e fazer com que a Alemanha ande a cheirá-la a maior parte do tempo. Lembram-se dos 3-0 em 2000? Foi um banho porque Portugal teve sempre a bola em seu poder. Dar a iniciativa de jogo aos alemães pode ser fatal.
Podolski e Frings estão em dúvida e era bom que não jogassem. A ausência de Podolski seria mesmo muito boa, pois é dos jogadores mais em forma nesta altura e está com o pé quente. Nos nossos, continuo à espera que o Ronaldo prove que é mesmo o melhor do mundo, porque até agora pouco se viu. Ou ele só joga no Manchester United e quando lhe apetece?

Pedro Barata disse...

Vamos ganhar 2-1! Cristiano Ronaldo e Nuno Gomes vão marcar e vamos encontrar a Croácia na meia-final.
Um abraço

Monica 08 disse...

Acredito na vitória de Portugal!
Portugal 3-1 Alemanha.
Quaresma......Schweinsteiger
CR7
Deco

Meu onze inicial:
Ricardo
? -- Carvalho----Pepe-----Bosingwa
Deco----- Joao Moutinho--- Petit
----CR7------Quaresma--
----Nuno Gomes

Bruno Pinto disse...

Bem, parece que a minha sensação negativa acerca do onze português não se confirma. Scolari afinal não vai inventar e vai colocar o meio-campo dos dois primeiros jogos (Petit, Moutinho e Deco), pelo menos a acreditar no que disse na conferência de imprensa. Com essa equipa fico logo bem mais optimista.

Mário Rui Ventura disse...

Não acredito que Meira entre no onze, sobretudo depois de mais uma má experiência vivida com a Suiça. Petit joga bem melhor sozinho e João Moutinho é o "pulmão" daquele meio-campo que permite a Deco a liberdade necessária para surgir nos espaços e delinear os passes de desmarcação.

Scolari não vai mudar a táctica um milímetro, embora me pareça que, a haver alguma alteração, ela teria sempre de passar pela opção Nani em vez de Simão. E aqui, caro Bruno, Scolari até pode mostrar receio, mas dou a mão à palmatória: o jogador do Atlético empresta uma organização defensiva e uma transição para o ataque totalmente diferente.

Anónimo disse...

Lindo lindo!!! Emo Cristiano FLOpaldo mostrou sua forma de amarelão e covarde e mais uma vez foi o pior em campo.

Os panzers trituraram esse sub-time que não seria nada sem os brasileiros. Vocês deveriam beijar as chuteiras de Pepe, Deco, Felipão e Murtosa.

País ridículo, futebol ainda mais ridículo?

melhor do mundo??? ha ha ha!!!

e nem comenta a falcatrua perpetuada pelo Porto para se manter na Champions!

às armas, às armas??? não não... o correto é "às derrotas, às derrotas!!!!"""

HAHAHAHAHA!!!