domingo, 22 de julho de 2007

PRIMEIRAS IMPRESSÕES


E a bola voltou a rolar no Estádio do Dragão. Após o estágio em terras holandesas, o FC Porto regressou ao convívio com os seus adeptos e ganhou aos franceses do Mónaco por 2 - 1, em jogo de apresentação da sua equipa para a temporada que agora se inicia. Fui um dos 36.911 espectadores presentes, naquela que significou a minha primeira oportunidade de ver em acção os jogadores contratados, dado que não tinha acompanhado nenhum dos anteriores encontros desta pré-época. O jogo não foi brilhante mas deu para entreter - como diria Quinito - e uma vitória depois de uma derrota é sempre importante.

Jesualdo Ferreira apresentou o seu 4-3-3 habitual e manteve-o durante toda a partida. Com a permanência de Quaresma no clube, fica claro que este será o sistema primordial, embora o vasto leque de soluções permita derivações para o 4-4-2. Os 'dragões' foram melhores que o Mónaco, dominaram durante mais tempo, jogaram quase sempre mais perto da baliza monegasca do que o inverso e o resultado acaba por ser normal e justo, face ao decorrido dentro das quatro linhas.

No primeiro tempo, em que o guardião Nuno foi o único dos reforços em campo, o futebol portista foi naturalmente mais ligado, mais entrosado, com maior número de combinações atacantes e um envolvimento colectivo mais apurado. Os extremos Lisandro e Quaresma foram os homens mais em foco, tendo sido solicitados imensas vezes, resultado de um carrilamento do jogo azul e branco invariavelmente sobre as faixas laterais. Bosingwa também esteve muitíssimo bem em todo o corredor direito, o que já não é grande novidade. Mas as oportunidades não foram muitas e o golo acabou por resultar de um lance de bola parada: cruzamento de Quaresma, cabeça de Lisandro e o guarda-redes Roma batido pela primeira vez. Primeira explosão de alegria no Dragão, já que mesmo sendo a feijões, todos gostam de ganhar.

Com a segunda parte, surgiram as novidades, aqueles jogadores que toda a gente queria vislumbrar e começar a ter uma ideia a seu respeito, para além obviamente dos golos de Postiga (de grande penalidade) e do monegasco Pino. Edgar foi o único disponível que não chegou a ser utilizado. De resto, foi possível ver Bolatti, Kazmierczak, Lino, Luís Aguiar e Fernando, em estreia absoluta no Dragão. Como primeiras impressões poderei dizer, acerca de cada um, o seguinte:

- Bolatti: gostei do que vi, foi o melhor de todos os novos recrutas. Imponente fisicamente, o argentino é daqueles que assume o princípio das jogadas de ataque, com um futebol simples, preciso e de poucos toques. Não inventa um milímetro e é rápido a desfazer-se da bola. Efectuou um remate de fora da área (à figura de Roma) e ganhou uma bola de cabeça num lance de bola parada (por cima da trave). Sendo certo que só um caberá no onze, lutará com Paulo Assunção por uma vaga, podendo a escolha depender do adversário e do tipo de jogo que se pretende. O brasileiro, mais técnico, utiliza mais a condução de bola, ao passo que Bolatti toca mais de primeira. Ambos são tacticamente adultos. Prevejo uma concorrência apertada e uma alternância na titularidade, assim Jesualdo Ferreira proceda a uma gestão inteligente destas duas peças. Talvez Bolatti nos jogos fora de casa teoricamente mais complicados, talvez Assunção nos desafios em casa à partida mais acessíveis.

- Kazmierczak: não há volta a dar, sou um apreciador assumido do gigante polaco. É um executante de futebol rectilíneo, que raramente progride com a bola nos pés, prefere jogar ao primeiro/segundo toque e fá-lo quase sempre de forma correcta. Pode até alegar-se que é lento, mas a sua impressionante compleição física poderá ser importante em vários jogos, na disputa de bola a meio-campo, nos lances aéreos na sua e na área adversária, nos remates de longa distância, na simplificação dos processos de jogo, etc. O que disse em relação a Bolatti e Assunção, aplica-se também para Kazmierczak e Raúl Meireles.

- Lino: este brasileiro foi uma autêntica desilusão. Muito nervoso, acusou claramente a pressão de actuar perante cenário tão iluminado. Acumulou erros sucessivos, entre perdas de bola e deficiente cobertura defensiva. Não me agradou a sua contratação e neste jogo reforcei essa ideia. Para o posto de lateral-esquerdo, adivinha-se uma luta a dois entre... Cech e Fucile!

- Luís Aguiar: teve períodos de bastante intervenção na manobra ofensiva e mostrou bons pormenores. Viu-se que é possuidor de boa capacidade técnica, algo essencial para quem joga como armador de jogo. É um jovem com talento e deve continuar a ser seguido com atenção. Pela amostra, gostei.

- Fernando: entrou para o centro da defesa substituindo Pedro Emanuel. Parece ter bom toque de bola e ser um jogador rápido, mas no pouco tempo que teve para se mostrar, não deu para ver grande coisa. E eu confesso que ainda não sei qual a sua posição de raíz. Deverá ser emprestado a um clube com menores ambições.

Para a história fica a constituição do FC Porto e respectivas substituições: Nuno (Paulo Ribeiro 46'); Bosingwa (Tarik 83'), João Paulo, Pedro Emanuel (Fernando 69'), Cech (Lino 46'); Paulo Assunção (Bolatti 46'), Raúl Meireles (Kazmierczak 46'), Jorginho (Luís Aguiar 46'); Lisandro (Rentería 83'), Adriano (Postiga 46'), Quaresma.

10 comentários:

Paulo Pereira disse...

Olá Bruno,

Vejo k foste ao estádio de todos os sonhos. O jogo, apesar de algumas fases de monotonia, mostrou um Porto dominador, ainda sem o entronsamento necessário, mas já com as características de épocas anteriores. Compartilho a tua opinião. Ontem sim, já se viu Bollati. Forte a defender, participou também em acções ofensivas, aparecendo amíude na zona de remate. Temos reforço. De Kaz, estamos conversados. Abnegação é o nome do meio do polaco. De Luis Garcia e de Leandro Lima espero k tragam magia, e muita. Na linha da frente, mais do mesmo. A falta de um poderoso matador é notória, sobretudo quando temos k jogar com Lisandro na linha. Mas gostei de ver, no geral, os Dragões em acção.

Um abraço,

Ruben disse...

Rui Costa fez um golão e Óscar Cardozo já começou a justificar os 9 milhões. Vamos ser campeões, sem espinhas! SLB sempre!

quintino disse...

Confirma-se o que eu temia: Lino pode ser, quando muito, um suplente. Agora, se estão a pensar meter o "rapaz" a titular, então estaremos conversados. O "jovem" até podia estar nervoso, mas ser "comido" daquela maneira no golo do Mónaco?
Fernando? Não deu para ver muito. Também quem se lembrou de o meter a central?
Bollati... gostei, mas vamos ver se se adapta ao futebol europeu...
Kaz... eu não vi nem técnica, nem abnegação... mas admito que tenha sido só eu.
Luís Garcia... o mesmo que para o Bollati.
No resto, Jorginho continua a dormir na forma. Postiga, tirando o golo, fez pouco mais que nada e o Renteria também continua a mostrar que uma coisa é ver os vídeos do YouTube e outra bem diferente é ali na relva, com a bola á flor do pé.
E não sei se o tal Farias vai resolver o problema que temos lá na frente. Bem sei, bem sei que vem do River Plate, que bláaaááá´, blááá, mas também o Fabiano era fabuloso e aqui não aqueceu o lugar (também nem lhe deram tempo, é verdade)...

gerson sicca disse...

No Brasil 36 mil pessoas é um jogo só em finais, e olha lá. Incrível como vocês estão anos na frente em matéria de organização e incentivo à torcida para ir ao estádio. Temos muito que aprender.
E esse Lino, saiu de onde? Não me lembro dele.

freamunde allez disse...

Muito bom blog, e recomenda-se principalmente para quem é portista. Um abraço e continua!

Saudações freamundenses!!

Bruno Pinto disse...

Gerson, foi realmente uma boa assistência e concordo que em matéria de público estamos mais avançados que vocês, mas olha que a falta dele nos estádios portugueses é um dos principais problemas do nosso futebol, não estamos tão à frente assim nessa vertente. Tirando FC Porto, Benfica, Sporting, Guimarães e mais uma excepção ou outra, as médias de espectadores nos estádios em Portugal são baixíssimas. Daria um post inteiro falar das causas desse desinteresse das pessoas pelo futebol ao vivo...

O brasileiro Lino teve um excelente desempenho na Académica de Coimbra na época passada. De resto, confesso desconhecer onde jogou nas temporadas anteriores. Penso que jogou no Corinthians nas camadas jovens mas não tenho bem a certeza. Se alguém souber, está à vontade para informar...

gerson sicca disse...

Bruno, quanto ao teu comentário no meu blog, espero que o Jorge Luis vá bem no Inter. Eu não sabia q ele tinha ido bem aí.
Quanto ao Braga, nada contra o time, é que tenho um certo receio qto a jogadores que transitam por times menores da Europa e voltam para o Brasil. Geralmente não conseguem sucesso no retorno.E a volta sempre é difícil, pois há necessidade de readaptar-se
Bom, e para nós que estamos aqui do outro lado do Atlântico, Portugal tem 3 grandes potências: Porto, Benfica e Sporting.
Por favor, só não ache q eu desmereci o Braga. Só disse que o time não está entre os mais fortes.
Grande abraço

Anónimo disse...

Rentería emprestado ao Estrasburgo, por uma temporada, sem opção de compra no final.

Filipe Soares disse...

Vi hoje este blog pela 1ª vez e gostei do seu conteúdo, vê-se que há aqui mt talento para a escrita.

Já que o assunto é o Porto, o meu clube, estou feliz pela vitória no Torneio do Atalanta. Duas vitórias em apenas 45 minutos cada é mt positivo e o Porto está a começar a crescer aos poucos. Quaresma continua a maravilhar-nos todos os dias com a sua magia, Nuno fez defesas providenciais, Adriano marcou um daqueles golos para ver e rever e Edgar mostrou que pode ser uma boa opção. Lisandro também está em boa forma numa altura em que as pernas ainda pesam demasiado. Postiga não foi convocado e deve sair, e já vai tarde!!

Depois, não aprecio tipos como Bolatti ou Kaz que metem a força à frente do jeito, vou mais pelo futebol de Assunção ou Meireles. Ouvi o Luís Freitas Lobo a comentar o jogo e ele disse que o futebol do Porto se está a inclinar para o jogo directo, com pouca posse de bola. Não sou apologista deste caminho, mas reconheço que em Itália jogámos mt bem.

Virei aki + vezes. Continua.

Bruno Pinto disse...

Filipe, obrigado e bem-vindo!
Fiquei muito agradado com as exibições do FC Porto em Itália, tanto num jogo como noutro. Já houve um 'cheirinho' do FC Porto que todos os portistas anseiam.
Quaresma continua a partir a loiça com o seu génio de excepção. Trivela, golo! Centro de letra, golo! Decisivo e genial, como sempre!
Lisandro já está em muito boa condição, concordo contigo, e um golo dá sempre moral.
Adriano apontou um golo fantástico, espectacular, sublime, parecendo querer dar continuidade ao belo final de época passada realizado.
Nuno defendeu um penalty e fez outra defesa de enorme categoria, revelando sempre tranquilidade e segurança. Muito bem!
Gosto de Bolatti e Kazmierczak, aqui discordo de ti. Não são portentos de técnica, mas jogam simples e de forma segura. Não são muito rápidos, mas o seu poderio atlético poderá ser muito importante em determinados jogos, nomeadamente em lances de bola parada, a defender e a atacar.
Gostei também da forma como Edgar se movimentou e procurou participar no jogo, tendo feito ainda uma belíssima assistência.
De Lino, até agora só tenho opinado negativamente, mas reconheço que esteve bem melhor neste torneio e fiquei contente por isso, até porque boas opções e concorrência interna nunca são demais. Acho, porém, que Fucile em boa forma terá sempre de ser titular porque é melhor que Lino e Cech (Bosingwa é indiscutível).
Para um torneio de pré-temporada, pareceu-me um desempenho muito positivo, foi bom para subir os índices de confiança.
Abraço.

PS: Quaresma e Simão: descubra as diferenças...