quinta-feira, 19 de julho de 2007

PLANTEL E MERCADO (FC PORTO)


Desde a minha última análise acerca do plantel do FC Porto, alguns desenvolvimentos já aconteceram. Alguns jogadores rumaram a outras paragens, outros chegaram para fortalecer o grupo, decisões importantes foram tomadas e, aos poucos, o elenco que estará às ordens de Jesualdo Ferreira em 2007-08 começa a ficar definido. Actualizando:



Reforços:

- Leandro Lima: médio-ofensivo internacional brasileiro sub-20, é um jogador que chega do São Caetano e que custou aos 'dragões' 1,5 milhões de euros. Possuidor de boa técnica, participou no recente Mundial da categoria e chega para preencher a vaga deixada por Anderson. Não se espere, contudo, que este jovem ainda inexperiente faça esquecer o menino-prodígio. Dar-lhe tempo e tranquilidade para trabalhar, sem pressões exacerbadas, é meio caminho andado para que possa dar-se bem em Portugal. Uma incógnita para mim.

- Kazmierczak: proveniente do Boavista, custou 1,3 milhões de euros. É um médio possante e de boa capacidade de remate, bastante forte igualmente no passe longo. Pode perfeitamente actuar como trinco ou médio de transição. Considero uma boa aposta dos responsáveis portistas e talvez se venha a cotar como uma bela surpresa da nossa liga.

- Lino: lateral-esquerdo vindo da Académica a custo zero, é um dos reforços que menor impacto causou neste defeso. A sua contratação não me agradou, não só porque tenho dúvidas se terá categoria suficiente para jogar num clube desta dimensão, mas também porque não terá qualquer valorização futura (tem 29 anos) e esse aspecto também me parece importante.

- Edgar: ponta-de-lança vindo do Beira Mar, é internacional sub-20 brasileiro e é o chamado homem de área. Porventura limitado a jogar com os pés, faz do jogo de cabeça o seu ponto forte, tendo muita gente já referido que pode estar ali um novo Jardel. Talvez seja exagero tal comparação, mas gostei bastante desta contratação. Para o ter por empréstimo durante um ano, o FC Porto paga uns insignificantes 150 mil euros. Uma boa forma de negócio. Se render, adquire-se o seu passe, caso contrário vai recambiado.

- Luís Aguiar: chega por empréstimo do Liverpool de Montevideu, a troco de 200 mil euros. Médio-ofensivo uruguaio de 22 anos que alegadamente possui boa capacidade de remate de longa distância, pode jogar ao centro ou então mais descaído numa ala. É um perfeito desconhecido e, como tal, é difícil dizer desde já se foi ou não uma aposta positiva, mas estou com um bom pressentimento.

- Fernando: jogador desconhecido que chega do Vila Nova, das divisões secundárias brasileiras, destinando-se ao que tudo indica a ser emprestado. Não compreendo este tipo de aquisições.

- Nuno: guarda-redes vindo do Aves a custo zero, regressa assim a uma casa que já conhece, estando destinado a ser suplente de Helton. Na altura torci um pouco o nariz, mas tendo em conta o abandono de Vítor Baía e a vontade de Paulo Ribeiro de ser emprestado, reconheço que talvez tenha sido uma escolha inteligente. É benéfico ter um segundo guardião experiente, pronto para responder a qualquer eventualidade, mas que sabe que a titularidade não é para si.

- Bolatti: depois da longa novela que envolveu a sua contratação, este médio-defensivo argentino de 22 anos veio mesmo para o Dragão. Proveniente do Belgrano, vem rotulado de promessa do futebol alvi-celeste, exibindo um porte físico de respeito. Custou 2 milhões de euros e deve portanto constituir-se como mais-valia para o grupo. Não conheço o seu futebol mas as referências são animadoras. Para confirmar no decorrer da época.

- Mariano González: a par de Kazmierczak e Edgar, foi das entradas que mais me agradaram, não só porque me parece um jogador capaz de fazer a diferença, como também por chegar para uma posição carenciada do plantel, a de extremo. Mais um negócio sob a forma de empréstimo, desta feita por parte do Palermo, em que os portistas pagam 200 mil euros. Oxalá apresente credenciais satisfatórias e não defraude as minhas expectativas.


Saídas:

- Anderson: a SAD entendeu que a proposta de 31,5 milhões era irrecusável e o portento canarinho rumou ao Manchester United. Mesmo sabendo que os números são tentadores, continuo a achar que o 'timing' da operação não foi o mais correcto e que o clube ficou a perder, não só a nível desportivo de modo irreparável, mas também a possibilidade de um negócio futuro ainda mais rentável. O meu raciocínio é simples: vender hoje por 30 quando amanhã se pode vender por 40 é sempre mau, independentemente da fantástica quantia encaixada e da necessidade imediata de aumentar o 'cash-flow' (havia outras hipóteses de venda, como é sabido). Era o último a quem devia colocar-se a hipótese de ser transferido.

- Pepe: saiu para o Real Madrid por 30 milhões de euros, num negócio absolutamente sensacional para os azuis e brancos. A perda desportiva é enorme, mas face aos números envolvidos e à sua vontade pública de partir para "um clube maior", só tenho de bater palmas a esta operação. E confesso que nunca esperei que a saída do central brasileiro rendesse uma soma tão elevada. Uma comprovação da capacidade negocial dos responsáveis portistas mas igualmente do respeito que o FC Porto soube granjear na Europa do futebol (alguém acredita que se o Pepe estivesse no Benfica ou no Sporting surgisse um emblema a pagar 30 milhões?).

- Ricardo Costa: 3,5 milhões foi quanto pagaram os alemães do Wolfsburgo pelo central português. Mais um magnífico negócio para a SAD portista, já que Ricardo Costa raramente vinha sendo utilizado e parecia-me um elemento a mais no plantel. O FC Porto consegue transferir um suplente por 3,5, quando o Sporting negoceia o seu guarda-redes titular (e da Selecção Nacional) por 2... Dá que pensar! E já nem falo dos 4 milhões que o Werder Bremen pagou por Hugo Almeida...

- Ibson: renovado o contrato até 2011, o FC Porto emprestou este talentoso médio ao Flamengo. Apesar de defender a sua permanência no plantel, achei muito boa a saída encontrada para este caso, uma vez que Jesualdo Ferreira não contava com ele para 2007-08. Face ao talento que lhe reconheço, oxalá possa voltar ao Dragão um dia mais tarde.

- Alan: não tem categoria para jogar no FC Porto e foi muito bem cedido ao Guimarães. Se tivesse sido em definitivo é que era...

- Vieirinha: podia perfeitamente caber no plantel, pois trata-se de um extremo talentoso e que não teve as oportunidades que talvez merecesse para mostrar as suas qualidades e ajudar mais a equipa. Jesualdo não foi da mesma opinião e portanto será emprestado ao Leixões, um bom clube para poder evoluir e jogar mais regularmente, sempre com os olhos postos num regresso à casa-mãe.

- Mareque: ainda não percebi porque se andou a gastar dinheiro na sua aquisição. Será emprestado ao Independiente e por lá poderia ficar para sempre...

- Bruno Moraes: um avançado com valor, mas que nunca se conseguiu impôr na formação portista. Poderia aspirar a ficar nos eleitos para a nova temporada, mas as suas polémicas declarações pondo em causa o treinador, traçaram o seu destino. A sua saída é um dado consumado, resta saber para onde e em que condições.

- Paulo Ribeiro: demonstrou vontade de rodar num clube que lhe permita jogar com regularidade, faltando apenas saber que clube será. Bem pensado.


Plantel actual (29 jogadores):

Helton, Nuno, Ventura, Bosingwa, Fucile, João Paulo, Bruno Alves, Pedro Emanuel, Cech, Lino, Paulo Assunção, Bolatti, Kazmierczak, Fernando, Raúl Meireles, Lucho González, Castro, Leandro Lima, Jorginho, Luís Aguiar, Quaresma, Lisandro, Mariano González, Tarik, Adriano, Postiga, Rentería, Edgar e Rui Pedro.


Notas e opiniões:

- Ventura, Castro e Rui Pedro são produtos das escolas de formação e, por agora, apenas Ventura tem lugar garantido no plantel. Tarik voltou ao clube para cumprir o estágio de pré-temporada, depois de ter estado cedido temporariamente, estando ainda em dúvida a sua permanência.

- O plantel deverá ter quanto a mim 25 elementos e ser equilibrado, ou seja, ser bem distribuído por todas as posições. Considerando que um central ainda vai ser obrigatoriamente contratado, deveriam ser dispensados mais cinco jogadores. Na minha perspectiva seriam Castro, Rui Pedro, Fernando, Jorginho e Rentería.

- Os jovens Castro e Rui Pedro podem até ficar no plantel, porque devem estar demasiado verdes até para serem emprestados, mas nunca seriam contabilizados nos tais 25 jogadores, era mais para ganharem experiência e maturidade, contactando com uma realidade diferente daquela a que estão habituados.

- O mais certo é Rentería não sair, talvez Postiga esteja mais próximo de o fazer. O Levante está interessado no seu concurso. Se pagarem cerca de 4 milhões apoio o negócio, caso contrário defendo a sua continuidade. Prefiro Postiga a Rentería, de longe!

- A saída de Lucho para o Valência está iminente, até tendo em conta a posição negocial desfavorável da SAD (apenas dispõe de metade do passe do argentino). Se isso suceder, sou a favor da compra de outro médio de valor internacional. Se o clube não estiver para aí virado, então terei de me contentar com Jorginho. Mas, repito, só se Lucho fôr mesmo para Espanha.

- Acho necessários quatro extremos para o equilíbrio do plantel. Gostava de ver outra aquisição para rivalizar com Quaresma, Lisandro e Mariano González. Se isso acontecesse (algo pouco provável), então abria a porta da saída a Tarik, caso contrário manteria o marroquino. E pensar que temos um jogador como Hélder Barbosa a rodar...

- Para substituto de Pepe no centro da defesa, de todos os que já apareceram destacados na imprensa, agradam-me dois nomes: Manuel da Costa e Stepanov. Mesmo sendo caro, o português valorizará muitíssimo no futuro e, como tal, parecia-me um investimento no ponto. O sérvio Stepanov também é um grande jogador e veria igualmente com bons olhos a sua contratação.

- Por último, seria um sonho que houvesse uma surpresa na apresentação da equipa chamada 'avançado de categoria internacional' e, nesse caso, nem me importava que o plantel fosse constituído por 26 magníficos. Mas infelizmente acho pouco provável, embora haja milhões suficientes para isso, sem prejuízo da redução do passivo. A ver vamos.

15 comentários:

Bruno Pinto disse...

Complementando, os valores das transacções são os referidos no jornal 'O Jogo'.

quintino disse...

Excelente análise.
Tive e tenho muitas reticências em relação ao Lino e ao Nuno Espírito Santo.
Fernando parece que está a revelar-se uma agradável surpresa e não sei se não conquistou o seu espaço no plantel.
Kaz, para mim, é uma incógnita. Uma coisa é o Bessa, outra o Dragão.
Bolatti, pelo menos ontem, não me convenceu.
Aguarda-se.
Quanto aos avançados - ou amostras -, entre Postiga e Renteria venha o diabo e escolha. Por mim, era guia de marcha a ambos.

Paulo Pereira disse...

Ai, ai, nem sei por onde comece, depois da derrota de ontem. Concedo que foi apenas e só um jogo de preparação, rodeado de uma dureza pouco habitual, mas fiquei apreensivo. Muito. Tirando uns rasgos de magia de Quaresma, o pragmatismo e abnegação de Fernando e um punhado de boas intervenções de Nuno, o futebol do Porto foi francamente pobre. Muito pobre. Na frente, o problema do costume. A necessidade premente de um matador, incapaz de falhar bolas como aquelas do Adriano (inacreditáveis os falhanços) e de Postiga, no último minuto. É imperioso, se quisermos ter pretensões europeias, o reforço atacante. Edgar, como dizes, é uma excelente aposta, mas será mais de futuro, tal como Leandro Lima, capaz de aportar alguma fantasia a um meio campo demasiado musculado. A ver vamos...
Quanto aos restantes reforços, nada mostraram, a rever já sábado contra o Mónaco. Faltam extremos - Mariano Gonzalez poderá ser uma boa opcção - e fica aquela espinha atravessada. Porque não Vieirinha e Helder Barbosa? Sinto que delapidamos a prata da casa, com imenso valor, valorizando muitas vezes estrangeiros sem a mínima qualidade (caso de Alan).
Gosto de ambos os centrais apontados, a que juntaria Luizão, novo e com grande cartel já no Brasil, ou Nunes, com boas carreiras no Braga e na liga espanhola. A idade, no caso deste último, é um entrave, mas ganharíamos a experiência necessária para já. Não acredito na vinda de Manuel da Costa. O PSV deve pedir um valor proibitivo aos cofres portistas. E era tão bom uma surpresa no sábado mas, para não sofrer nenhuma desilusão, prefiro nem alimentar esperanças...

Um abraço,

Bruno Pinto disse...

Paulo, não tive oportunidade de ver o jogo e apenas sei o que li aqui pela net. Parece que o jogo foi pobre e as caras novas desiludiram bastante, mas não dou muita importância a estes joguinhos a brincar, sinceramente. Quando os processos de começarem a consolidar, os reforços a integrarem-se e os jogos a doer, é que se vão poder tirar ilações mais objectivas.
Pois, eu também acho o Manuel da Costa talvez utópico, foi mais a demonstração de um desejo e penso que o investimento seria sempre rentável futuramente. Nunes também me agradaria, mas nunca pelos falados 4 milhões! Por esse valor, então que venha o jovem Stepanov, que é um grande jogador. Vamos lá ver o que se vai passar nos próximos dias...

gerson sicca disse...

Esse guri do são caetano, o leandro lima, é bom jogador.O Rentería não me agrada muito. Fez umns golzinhos no Inter, mas nada muito mais que isso.

Bruno Pinto disse...

Stepanov está garantido e congratulo-me com tal notícia. Já várias vezes afirmei que este sérvio me agrada sobremaneira. 3,5 milhões? É um pouco caro mas é bem investido (tem apenas 24 anos).
Já quanto a Ernesto Farías só tenho uma pergunta a fazer: era este o avançado que tinham para nos oferecer?? Que desilusão! Mais um sul-americano...

nuno disse...

Muito gabam os responsáveis portistas por conseguirem fazer grandes negócios nas vendas. Eu concordo com algumas frases que vou lendo por aqui: nos outros grandes estes negócios eram impossíveis. Mas, e as compras? A equipa tem de ser formada... se o Lucho saír o FCP fica com um dos piores planteis das últimas duas décadas. O Quaresma vai ganhar os jogos todos sozinho?

Felipe Leonardo disse...

Bela análise do Porto, que teve algumas saídas que farão falta na próxima temporada: Anderson e Pepe.
Mas, mesmo assim, penso que os dragões continuarão como melhor time de Portugal na próxima temporada européia.

Ruben disse...

O Porto está a fazer um plantel ridículo, o Pintinho já anda acadabo há muito e esta temporada vão-se ver gregos na Liga, com os jogadores tão fraquinhos que tem. Será que vão parar à segunda mesmo antes da sentença do Apito Dourado??! Seria lindo...
SLB SLB SLB! Glorioso SLB! Glorioso SLB!

Paulo Pereira disse...

Olá Bruno,

O Stepanov já dá para alegrar a malta. Sinceramente, partilho da tua opinião. Poderá ser um grande reforço. Quanto ao Farias, se não é um nome sonante, tem cartel na argentina. Nunca o vi jogar e, para aferir das capacidades dele, só mesmo recorrendo ao meu jogo de eleição, o Football Manager. E olha, ele está bem cotado, com uns indíces notáveis. Eu sei k é um mero jogo, mas k tem uma base de dados muito próxima da realidade. Vamos lá a ver o k isto dá, mas sinceramente ansiava, tal como tu, por um nome mais sonante. Huntelaar era mesmo um sonho, mas adorava vê-lo de dragão ao peito.

Um abraço

Bruno Pinto disse...

Paulo, sim o Huntelaar é que era, mas é demasiado utópico, vai ser um dos melhores avançados do mundo e já é caríssimo nesta altura (valor do passe + ordenado). Mas quando o Drogba diz que o FC Porto lhe apresentou uma proposta, o Huntelaar até fica pequeno... Ehehe... Brincadeira... Essa do Drogba só foi mesmo para um gajo desanuviar um bocado e rir às gargalhadas. Juntando aqui o amigo Ruben, já dá uma valente dor de barriga de tanto rir!

Pedro Barata disse...

Sinceramente, acho que este Porto ainda é uma incógnita, há que esperar para ver. A pré-época mal começou e resta aguardar. Não conheço os dois últimos reforços, mas, pelo menos, um é da Europa! Acho que o Porto tem demasiados sul-americanos no plantel... Quanto aos jovens, Hélder Barbosa e Vieirinha penso que será bom para ambos rodar, depois de um ano de inactividade, no caso do "estudante" agravado por uma lesão longa. Por outro lado, T
talvez Paulo Machado, que já rodou dois anos (Amadora e Leiria), merecesse agora uma oportunidade no plantel. Mas os sul-americanos...
Um abraço, Bruno

Anónimo disse...

Só umas notas:

Fernando também é internacional sub 20,e deu nas vistas na selecção. Não fosse a suspenção por ter agredido um arbitro num jogo que virou batalha campal teria estado no mundial sub 20.
Vai rodar um ano,mas talvez seja dos brasileiros que vieram para o Porto com mais margem de progressão.


Anderson saiu porque era um excelente negócio para o Porto.
Porque o jogador fez pressão.
Porque o Jorge Mendes além de ter 20% do passe,tem relações priveligiadas e aconselhou a sua venda no momento.
É preciso não esquecer que Anderson teve uma grave lesão,nunca se sabe o dia de amanhã e neste campeonato ia levar pau com toda a complacência de árbitros e adversários,como aliás aconteceu.
Aliado a tudo isto temos o clube Manchester.era o clube ideal,tanto anderson,Mendes como o Porto sabiam disso.
A opurtunidade poderia não voltar a aparecer tão cedo.

gerson sicca disse...

O Anderson é um excelente jogador, mas tem o problema de ser "mascarado", como se diz aqui no Brasil. Ele fez dois ou três gols pelo Grêmio, qdo apareceu, e já andava com dois celulares e achando que era o David Beckham tupiniquim. Hoje a imprensa do Rio Grande do Sul reclama que ele não quer dar entrevista, enqto q o Ronaldinho Gaúcho, por exemplo, atende todo o mundo com a maior cordialidade.
O Porto deve embolsar, com todas as transações, uns 100 milhões de euros, se não me engano. Dá pra fazer boas contratações. Pelo tamanho do clube, tem que entrar na liga dos campeões para brigar pelo título.

Anónimo disse...

se a merda fosse ouro o porto era um tesouro...