domingo, 26 de agosto de 2007

BURRICE E INTELIGÊNCIA


FC PORTO - SPORTING 1 - 0
1ª Liga Portuguesa 2007-08
26 de Agosto de 2007
Estádio do Dragão (Porto)
Árbitro: Pedro Proença (Lisboa)
FC Porto: Helton; Bosingwa, Bruno Alves, Pedro Emanuel, Fucile; Paulo Assunção, Raúl Meireles (Mariano González 67'), Lucho González; Tarik (Postiga 46'), Lisandro (Bolatti 85'), Quaresma. Tr: Jesualdo Ferreira
Sporting: Stojkovic; Abel (Yannick Djaló 76'), Tonel, Anderson Polga, Ronny (Pereirinha 76'); Miguel Veloso, João Moutinho, Izmailov (Vukcevic 62'), Romagnoli; Derlei, Liedson. Tr: Paulo Bento
Ao intervalo: 0 - 0
Marcador: 1 - 0 Raúl Meireles 53'
CA: Quaresma 33', Derlei 53', Tonel 54', Anderson Polga 73', Bosingwa 86', Helton 90'+4'


Um golo de pura inteligência, resultante de um lance de pura burrice, definiu o resultado do clássico. Com exactamente 49.709 pessoas nas bancadas do Dragão e o ambiente ao rubro, o FC Porto de Jesualdo Ferreira derrotou, enfim, o Sporting de Paulo Bento, depois de nas três anteriores partidas entre ambas as equipas se terem registado um empate e duas vitórias leoninas. O FC Porto está agora na frente do campeonato, conjuntamente com o Marítimo, dispondo já de três e quatro pontos de vantagem sobre Sporting e Benfica, respectivamente.

Ao contrário do que sucedera na Supertaça, o jogo foi bom, dinâmico, emotivo e, embora nem sempre bem jogado, o espectáculo valeu a pena. A vitória assenta bem aos campeões nacionais. Fizeram mais pelos três pontos e mereceram-nos inteiramente. A uma primeira parte de domínio portista, respondeu o Sporting com maior ascendente na etapa complementar. A diferença é que os 'leões' se mostraram passivos e impotentes na fase de assédio portista, coisa que não aconteceu com o FC Porto que, mesmo no período em que sofreu maior pressão, nunca deixou de contra-atacar e mostrar-se ameaçador. No cômputo geral, os 'dragões' foram superiores, tiveram mais oportunidades claras de golo, incluindo a mais flagrante de todas, num livre à Quaresma que embateu na trave.

Jesualdo lançou Tarik para a titularidade, em detrimento do esperado Postiga, naquela que foi a única surpresa dos onzes iniciais. Embora tenha torcido um pouco o nariz quando soube desta escolha, não posso deixar de reconhecer que o marroquino efectuou uma exibição interessante, apesar de intermitente. Foi ele que criou as duas primeiras jogadas de grande perigo, ao arrancar pela esquerda em drible e cruzar para a área: na primeira ninguém acorreu ao cruzamento e na segunda Lucho, bem enquadrado com a baliza, rematou muito ao lado. Foi este o mote para a superioridade portista nos primeiros 45 minutos. Servindo-se de um meio-campo incansável na recuperação da bola e esclarecido na hora de construir, o FC Porto exerceu forte pressão sobre a defensiva sportinguista, chegando inúmeras vezes com perigo junto da baliza de Stojkovic.

O único ponto menos positivo nesta fase foi mesmo a falta de alguém na área leonina, facto normal se tivermos em conta que Lisandro desceu diversas vezes para importunar Miguel Veloso e não deixar repetir a superioridade numérica do Sporting a meio-campo acontecida na temporada passada. A verdade é que Assunção, Meireles e Lucho 'engoliram' autenticamente Moutinho, Izmailov e Romagnoli, proporcionando algumas jogadas de ruptura aos seus extremos e mantendo os seus defensores num mar de tranquilidade. O único apontamento que se viu ao Sporting foi um remate venenoso de João Moutinho de longa distância ao lado do poste, isto já depois de Quaresma ter, como disse, apontado superiormente um livre contra a trave, mais ou menos da zona onde havia marcado o portentoso golo da vitória em Braga. Onde será que acaba o talento do '7' azul e branco? Esta toada só abrandou nos últimos dez minutos, altura em que o Sporting conseguiu sacudir o aperto e subir um pouco no terreno, até ao descanso. Intervalo, 0 - 0, com o FC Porto a justificar a vantagem mas sem o conseguir.

Para o segundo tempo, Jesualdo fez entrar Postiga - bom jogo do mal-amado - para o lugar de Tarik, derivando Lisandro para uma das alas. Paulo Bento optou por não mexer na equipa, mas deve tê-lo feito com a cabeça dos jogadores, pois o Sporting surgiu transformado e entrou a todo o gás, com três boas situações em três minutos, apesar de não muito flagrantes: cabeceamento de Derlei para defesa de Helton, remate de Abel para nova intervenção do internacional brasileiro e novo remate de Derlei por cima, este do meio da rua. Mas o FC Porto, tal como referi, nunca se deixou encostar demasiado às cordas e respondeu à letra com um grande remate de Postiga para defesa de Stojkovic, seguido de recarga de Quaresma por cima. O jogo estava mais vivo e atractivo e sentia-se agora que qualquer equipa podia marcar.

Aos 52 minutos, o lance que decidiu o jogo: Postiga e Polga atacam uma bola morta, o central chega primeiro e, retirando a bola da frente do avançado com um simples esticar da perna, atrasa a bola na direcção de Tonel, que abre as pernas e a deixa seguir até Stojkovic. Inocente e incompetente (burro?), o guardião sérvio, com todo o tempo do mundo para pensar o que fazer, agarra a bola (!), para desespero de Paulo Bento, bem documentado nas imagens televisivas. O árbitro fez o que lhe competia e o que está determinado nas regras, marcando livre indirecto contra o Sporting sobre a linha de pequena área. Lucho 'El Comandante' González assume a marcação do lance e, quando toda a gente esperava um passe na frente para Quaresma, o argentino surpreende e toca atrás para Raúl Meireles, que fulmina a baliza do Sporting com um tiro indefensável. 1 - 0, o Dragão em apoteose e a justiça no marcador estabelecida.

O FC Porto continuou por cima durante mais alguns minutos, até que Bento trocou Izmailov por Vukcevic, respondendo Jesualdo com a entrada de Mariano por Meireles. E foi aqui que o decurso do jogo se alterou. Sem Meireles, o meio-campo portista ressentiu-se, perdeu capacidade de pressing, deixou de fazer a transição para o ataque de forma adequada e o Sporting aproveitou para subir as suas linhas e colocar a defensiva portista em sobressalto. Foi um erro trocar um trabalhador refinado por um médio tão ofensivo e sem espírito lutador, ainda mais a ganhar. Esta é a prova de que nem sempre a atitude mais ousada é a mais inteligente (esta é para os que apelidam Jesualdo de medroso). A luta do meio-campo ficou irremediavelmente perdida. Claro que, face à subida esperada do Sporting, até poderia ser bem pensado colocar um homem mais rápido e afoito, na tentativa de apanhar os 'leões' em contrapé e aumentar a vantagem. Só que o próprio andamento do jogo originou um efeito contrário e logicamente que depois de tudo acontecer é mais fácil falar!

A baliza de Helton estava agora ameaçada e Paulo Bento jogou mais uma cartada, retirando os laterais, fazendo entrar Pereirinha e Djaló e recuando Veloso, passando assim a jogar em algo parecido com um 3-5-2. Foi uma aposta arrojada e que possibilitou um domínio territorial ainda maior, embora as ocasiões claras de golo se resumam a um remate cruzado de Moutinho ao lado e uma bola que Helton deixou escapar das mãos perigosamente. Veio o final do jogo e estava consumado o fim da série de 26 jogos sem perder da turma sportinguista, perante um adversário superior e que fez por merecer o triunfo.

Quanto ao trabalho do árbitro, ao contrário do que se tem ouvido e lido em alguma comunicação social e também por aqui na blogosfera, não teve influência no resultado. No lance capital, decidiu como se impunha, já que Polga teve clara intenção de, cortando a bola, a direccionar a um companheiro e manter a posse da mesma na sua equipa. Os únicos equívocos foram a não amostragem de alguns cartões amarelos a jogadores de ambas as equipas e as não expulsões de Quaresma (ainda assim, viu o amarelo), primeiro, e Derlei, já perto do fim. Apesar de tudo, num jogo bastante difícil de dirigir, nota positiva para Pedro Proença.

No FC Porto, destaque maior para o trio de centrocampistas, Tarik nos primeiros minutos e para o talento de Quaresma, a espaços. Bosingwa alternou boas iniciativas com alguns 'rodriguinhos' na defesa (já vistos na Supertaça) perfeitamente escusados. No Sporting, após uma primeira parte de apagamento colectivo, emergiram Veloso, Moutinho, Derlei e Liedson. Vukcevic esteve bem no tempo em que jogou e Tonel foi o melhor do sector mais recuado. FC Porto na frente da liga, ou seja, como diz Bosingwa, "regresso à normalidade", porque isto de ter "os adversários a olhar para cima" é como lavar os dentes!

30 comentários:

Ruben disse...

O Coroado diz na TVI que não houve infracção do guarda-redes porque para que isso aconteça O jogador que passa tem de estar na posse da bola e ter intenção clara de a atrasar. Isto é, o Porto ganhou por dois erros do árbitro: não expulsão do Quaresma por entrada assassina sobre Veloso e golo irregular. Enfim, o costume... Pobre futebol português, onde vais parar?

Bruno Pinto disse...

Ó Ruben, não diga disparates! Eu, por acaso, vi o programa, e também me lembro de ver o João Querido Manha a dizer que houve infracção!!! Ora, para este senhor dizer uma coisa dessas... Quem jogou ou joga futebol sabe perfeitamente que o Polga cortou a bola, sim senhor, mas com o intuito CLARO de a endossar a um colega, de manter a bola jogável na sua equipa. O azar foi o Tonel ter deixado a bola passar e o Stojkovic ter sido incompetente. A intoxicação pelo facto de o vencedor ter sido o FC Porto já começou. Lamentável!!

Ruben disse...

Que parte do "estar na posse da bola" é que ainda não percebeste? Vais dar lições ao Coroado, antigo árbitro internacional de prestígio?

Bruno Pinto disse...

Pensa que nós somos todos anjinhos, não?! Estar na posse da bola?! Imagine esta situação: passe longo para as costas da defesa, Polga e Postiga ao sprint na luta pela bola, o brasileiro chega primeiro e em esforço atrasa a bola ao Stojkovic, que a agarra. Há aqui infracção ou não? Onde está aqui a posse da bola do Polga? Epá, chega de asneiras!! Atraso de bola claro e intencional.

Leão disse...

Só um ceguinho diz que houve atraso intencional do Polga! É claro como a água que foi um corte casual e que a bola vai para o GR de forma casual. Tudo o resto é encobrir o trabalho habilidoso de Pedro Proença. Porto tem 3 golos de livre!! Não acham estranho?

PSousa*Bancada Directa* disse...

O Bruno nao sejas triste nas analises e tu que ate te considero inteligente, nao tenhas fanatismo agudo, pois nao e falta e ponto final, um corte daqueles nunca na vida é falta,..

So mesmo para cegos, desculpa mas e verdade...e já agora as expulsoes ficaram no bolso e eram duas [sabes quais eram], tal como uma para sporting[derlei]...

O resto e conversa de fiar e fanatismo puro.

Mas o Porto foi melhor e isso é outra historia.

Abraço

Ricky_cord disse...

Fazer um corte para onde se está virado não é propriamente querer endossar a bola a um colega. Mas foram inteligentes na marcação do livre, enquanto o redes do Sporting foi um anjinho, tipico de um miúdo das escolinhas ou infantis. Agora, o trabalho do árbitro já não interessa pois não? Tanta porradinha que passou impune... Abraço

Pedro Barata disse...

Acho que não existe atraso e o árbitro acabou por influenciar o resultado, que, no entanto, a meu ver, seria justo com a vitória do Porto, depois de uma primeira parte muito fraquinha do Sporting.
Um abraço, Bruno

quintino disse...

Pois... eu bem digo que a malta afecta ao Visconde de Alvalade costuma ter memória curta...
Tendo havido intenção (e isso só o autor o sabe) não há dúvidas, é livre. O árbitro tem de julgar de acordo com o seu critério.
Mas é claro como água que o que Polga queria fazer era atirar pela linha de fundo... teve é azar... é como um certo lance no Porto/Sporting do ano passado em que o penalty não assinalado que ele cometeu não existe simplesmente porque o Pepe é que meteu o pé à frente da chuteira dele...
E essa do Porto ter 3 golos de livre ser estranha também não lembra ao diabo... quer dizer, lembrou ao Leão ou lá que raio é... ò amigalhaço então os 4 golitos do Sporting contra a Académica foram todos limpinhos?
Quaresma a ser expulso também o deveria ter sido Derlei. Aqui, ao menos, estamos de acordo.
Quanto à porradinha, querem ver que foram os do Porto os únicos a irem constantemente às pernas do adversário?
Pois, está bem, eu não sabia... parece que alguém descobriu que Tonel e Abel, afinal, jogam pelo Porto!!!!
Haja paciência...

quintino disse...

Amigo Bruno Pinto - o amigo não se aflija. Eu té fui consultar o site da FIFA por via das dúvidas. E isto a propósito lá do cavalheiro apelidado Ruben.
Pelos vistos quem não conhece a Lei 12 do Futebol é o dito comentador. Ele que se dê ao trabalho de a ir lá ler.

Bruno Pinto disse...

Ó Quintino, eheheheheh, eu não me aflijo, claro que não. O Polga CORTA A BOLA COM A INTENÇÃO INEQUÍVOCA DE A DIRECCIONAR A UM COLEGA! Até o Paulo Bento diz que o árbitro não influenciou o resultado. A malta anda a ficar nervosa, calma que ainda só vamos na 2ª jornada... É por estas e por outras que me dá um gozo do caraças ser do FC Porto.
Ó PSousa eu pensei que, sendo tu treinador de futebol, terias um pouco mais de esperteza para ver que o Polga não corta para onde está virado, mas parece que me enganei. Ele é maluco para cortar a bola para aquela zona... Ridículo. Até o ceguinho Manha viu...

Bruno Pinto disse...

Ah e vermelhos para Quaresma e Derlei, sim senhor. Não vi mais ninguém a merecer vermelhos, mas alguns amarelos ficaram no bolso, inclusivé uns 2 ou 3 para jogadores do Sporting. Mas, claro, isto deve ser o meu fanatismo agudo a falar...

Paulo Pereira disse...

Eh eh eh, é só malta aziada por aqui. Desde logo, ficamos a saber, na opinião válida do Ruben k, o k é dito por Coroado, é ponto acente. Ou seja, o ex-árbitro pode, desde já, começar a escrever um tratado sbre o futebol luso, pois pelos vistos não se equivoca. Engraçado k andemos para aqui a discutir um tão evidente lance qd, à 2 semanas atrás, os espécimes k por aqui pululam não teceram nenhum comentário à escandalosa grande penalidade cometida por Tonel. Mas lá está, o bode expiatório de todos os males leoninos sempre foi a arbitragem, certo?
Na Europa é k é mais difícil conseguirem convencer-nos k os sucessivos fracassos se devem aos homens do apito, pois aí, longe do turbilhão de interesses do futebol nacional e do proteccionismo da imprensa, é k se vê a real valia da lagartagem: NULA! Podem endeusar Paulo Bento e os seus "meninos", pois só aqui é que eles aparentemente são bons...

Em relação à colecção de disparates proferidos sobre expulsões e vermelhos por mostrar, convinha a maioria frequentar uma kk acção de formação sobre a arbitragem. É k tanto disparate junto custa a ler. Porradinha existiu sim, mas impune só me lembro do Tonel...

Vá, fiquem bem, tomem os konpensans da ordem e, por favor, peço encarecidamente, não nos envergonhem, OUTRA VEZ, lá fora, na Liga dos Campeões. Por favor...

Anónimo disse...

Parece k os kompensans esgotaram no fim do jogo da supertaça....

Paulo Pereira disse...

Não meu caro, não te aproveites de uma esporádica e rara vitória numa competição, para endereçares o estafado tema dos kompensans para o lado azul e branco.
A vossa "grandeza" só existe neste país da treta. Lá fora, o vosso currículo é tão grande como os "colossos" k vegetam pelas pré-eliminatórias das provas da UEFA. O doce sabor de vencer uma competição europeia tiveram-na, numa misérável e anónima Taça das Cidades das Feiras. Competir com os monstros, os colossos europeus, não está ao vosso alcance. Por isso, meu caro anónimo, refastela-te num sofá e acompanha a mais elitista prova de clubes...pela TV. O teu clubezinho da treta, feit de viscondes e afins, só é grande no paleio...

Abraço,

Anónimo disse...

Tou impressionado com tanta retórica, mas se se sentiu assim tão pikado c o kompensan é pk ficou mm c azia. afinal um clube grandioso nc podia perder kum "clubezinho da treta"... E não é que em 3 jogos, este "clubezinho da treta2 vos ganhou 2 vezes? é f.... mais um kompensan pó buxo

PSousa*Bancada Directa* disse...

Bruno,

na opinião do Paulo Bento, não reli nas palavras dele dizer que estava de acordo com arbitro...ele diz que "Num CORTE, que pode significar atraso, na dúvida coloca-se a bola longe", nao concordou com lance, mas da interpretaçào do árbitro...neste caso eu considero que numa situaçào daquela o árbitro não deve assinalar o lance como atraso INTENCIONAL, mas tu e outros vem de maneira diferente, parabéns...

E a esperteza não está como queremos ver o lance, está na forma como nos convém, e ai meu amigo ser treinador dá-me uma vantagem diferente de quem não é, para ver as coisa com uma clareza diferente, mas respeito a tua e de outros aqui, como deves respeitar a minha...

Já como dizes Manha é um nabo, já nem falo em sistemas e modelos de jogo, porque esses nao sabem doferenciar as diferenças, tal como outros comentadores que me fazem rir...de regras também as tenho, tal como outros e diz assim:

"Pontapé-livre indirecto

Um pontapé-livre indirecto será concedido à equipa adversária do guarda-redes que, encontrando-se na sua própria área de grande penalidade, comete uma das quatro faltas seguintes:
• manter a bola em seu poder durante mais de seis segundos antes de a soltar dos mãos
• tocar uma nova vez a bola com as mãos depois de a ter soltado. sem que ela tenha sido tocado por outro jogador
• tocar a bola com as mãos vindo de um PASSE ATIRADO DELIBERADAMENTE com o pé por um seu colega de equipa
• tocar a bola com as mãos vindo directamente de um lançamento lateral efectuado por um colega de equipa"

Face a isto depende da interpretacao de quem apita e seu interesse, tal de como quem ve o jogo e seu clube..

Um corte para mim não é um passe, mas acredito que muito confudem isso como muitas outras.

Um abraço

PSousa*Bancada Directa* disse...

A esqueci dizer, que concordo com Paulo bento e outros, quando dizem que na duvida, convem o GR chutar a bola para frente...pois também digo aos meus jogadores, isso para evitar o que aconteceu ontem...
Mas, tenho a prespectiva diferente de ti no lance...e podes ver melhor o video com CORTE do polga no meu blog...

PS*gosto da maioria das tuas crónicas e não é por causa de um pensamento diferente que vou deixar de gostar, pois tens esse direito, tal como tenho de ver diferente, mas fica bem e recebe um Abraço...

Paulo Pereira disse...

Ó anónimo, fica lá com a glória de teres ganho a um campeão europeu. Eu sei k é norma os pequenos, qd ganham a um grande, sobrevalorizarem essas mesmas vitórias. Qt à azia, sim, é verdade, mas isso é um hábito entranhado num clube vencedor. Coisa k, convenhamos, o teu não é. Retórica, até agora, só mesmo a tua. Argumentação, sobre a questão europeia, é k nem vê-la. Porque será?
Vençam, vençam kk coisinha lá fora, por favor. É k essa história de só se queixarem de arbitragens começa a parecer patológica. Tadinhos, ainda vão criar uma comissão kk só para ouvir as vossas queixas...

Vai uma apostinha k a equipa da treta, dos "meninos prodígios", do treinador de risco ao meio, não passa da 1ª fase - outra vez - da Champions?

Bruno Pinto disse...

PSousa, assim já estamos a falar a mesma língua. Aceito e respeito opiniões diferentes, interpretações distintas. Há que convir que o lance é susceptível de interpretações antagónicas. Se dizes que respeitas também, então tens que respeitar o que o árbitro decidiu, sem estar a dizer que "depende da interpretação de quem apita e seu interesse" porque aí já estás a entrar no domínio da suspeição e da má fé, apenas aceitando a tua interpretação como válida.
Caso não saibas, também joguei futebol nas camadas jovens, por acaso até fui defesa-central e não tenho dúvidas em dizer que o Polga atrasou a bola deliberadamente na direcção de um colega, o azar, repito, foi o Tonel deixá-la passar. A minha percepção é esta e estou convicto de que o Polga, na sua mente, sabe muito bem que quis cortar o lance mas ao mesmo tempo colocá-la à disposição de um companheiro.

Paulo, deixa falar estes anónimos. Mas eu concordo com um deles, realmente a derrota na Supertaça causou-me uma azia descomunal (mas aguentei bem sem Kompensans eheh), é que como adepto do FC Porto não estou habituado a perder, especialmente contra um clube a que me habituei a ganhar sucessivamente durante anos e anos. No mais, já me habituei a ver todas as vitórias do FC Porto desvalorizadas por supostas ajudas exteriores e, pior do que isso, classificando-as de premeditadas. Lido com isso com naturalidade. No entanto, as vitórias na Taça UEFA e Liga dos Campeões, continuam por explicar... Aceito teorias, teses, explicações plausíveis.

Abraços

Leão disse...

Quintino, não seja faccioso tão irracionalmente. O que houve de errado em qualquer dos 4 golos do Sporting com a Académica? Vá-se tratar homem!!

quintino disse...

Leão, já me tratei há muito tempo... O amigo é que, pelos vistos, de Leão só tem mesmo o nome.
Mas deixe lá... o melhor mesmo é você continuar convencido que o Sporting jornada após jornada é espoliado... pode ser que seja mais feliz...

gerson sicca disse...

Bruno, não vi o lance do Anderson Polga. Se puderes, vê se coloca no blog. Aí dou minha opinião imparcial...
Agora, se os árbitros daí forem piores q os brasileiros tem que matar os caras. Aqui está de chorar. E há muita roubalheira, na cara-de-pau mesmo.
Bom, de qualquer forma, eu, que sempre fui volante mas joguei muito de zagueiro qdo necessário, vou dar minha opinião. O zagueiro jamais corta uma bola em direção ao gol. Ele sempre joga para a lateral(aprende-se isso desde criança). Se ele tocou com pouca força para trás é porque atrasou ou porque está ficando maluco.
Mas teria q ver o lance.
Grande abraço

Bruno Pinto disse...

Olá Gerson. Podes ver o lance aqui:

http://www.youtube.com/results?search_query=Atraso+de+Polga&search=Search

Abraço.

Filipe Soares disse...

Penso que o Porto foi mais equipa, teve mais chances de golo, dominou durante mais tempo e venceu justamente. Quem analisar de modo imparcial chega à mesma conclusão. Estive no Dragão e gostei da atitude da equipa.
O árbitro só fez o que tinha de fazer no lance do golo, para mim não é polémico e nem merece blá, blá, blá, é livre indirecto claro, sem espinhas. Gostei de ver o tono do Stojkovic a enterrar e depois às aranhas no remate do Meireles. Nem imaginam a festa que fiz...
Gostei de quase todos, o melhor para mim foi Paulo Assunção.

PS: As vitórias portistas causam mesmo muita azia...

Felipe Leonardo disse...

Realmente, um gol bobo sofrido pelo Sporting. Quem não tem nada de boba é essa equipe do Porto, ainda favorito ao título nesta temporada.

Abraço, Felipe Leonardo

Pedro Sousa disse...

Obrigado pelo comentário no meu blog!!!Parabéns pelo blog, está muito bom.

Já está nos meus recomendados.

Abraço

Pedro Sousa

http://blogdoengenheiro.blogspot.com/

gerson sicca disse...

Bruno, acho que tiraram do youtube o vídeo. Não está aparecendo nada.

Filipe Queirós disse...

Parabéns pelo blog! Não conhecia e gostei bastante! Linkei no meu!

Saudações Desportivas do Na Bancada Central

Bruno Pinto disse...

Gerson, o meu PC ainda não dá, por enquanto, para reproduzir vídeos, fica mais difícil saber onde terá algum. No youtube sei que tinha, embora não o tenha visto por causa do meu PC. Se alguém souber de um link onde se veja o corte, que é um passe, do Polga para o Stojkovic, pode colá-lo aqui na caixa de comentários.

Abraço.