terça-feira, 29 de maio de 2007

ONZE IDEAL DA 1ª LIGA 2006-07


Terminada a 1ª Liga 2006-07, entregue o título ao FC Porto e feita a festa azul e branca, é tempo de olhar para trás e, em jeito de balanço, escolher aqueles que mais se destacaram ao longo da competição. Algo que gosto particularmente de fazer é esboçar o onze ideal do campeonato, aquele que seguramente levaria um qualquer clube a ser campeão com 20 pontos de avanço. No mínimo! Note-se que as escolhas são feitas tendo em conta o desempenho ao longo de todas as 30 jornadas, ou seja, um jogador que esteve bem em 20 e menos bem em 10, merece obviamente ser mencionado, ao contrário de outro que tenha estado em evidência apenas nas últimas cinco jornadas, por exemplo.

Partindo do modelo 4-3-3, escolhido em função de me parecer o mais ajustável aos jogadores que merecem ser, em minha opinião, referenciados, o onze perfeito deste campeonato seria o seguinte: Peçanha; Bosingwa, Pepe, Anderson Polga, Léo; Miguel Veloso, Katsouranis, João Moutinho; Quaresma, Liedson, Simão. Tr: Jesualdo Ferreira





Peçanha (P.Ferreira):
Guarda-redes que apesar da baixa estatura para a posição, revelou magníficas qualidades, confirmando tudo o que de bom havia feito na época anterior. Foi um garante de pontos preciosos para o P.Ferreira, valendo-se da sua espectacular elasticidade e assinaláveis reflexos. Uma surpresa para mim, confesso. Segunda opção: Diego Benaglio (Nacional).

Bosingwa (FC Porto): Escolha lógica e praticamente unânime para lateral direito. Realizou um campeonato sempre em alto nível, conferindo à faixa direita portista equilíbrio defensivo e profundidade ofensiva. Foi em alguns jogos, o principal impulsionador do ataque dos campeões nacionais. A chamada recente à selecção foi inteiramente merecida. Segunda opção: Mário Sérgio (Naval).

Pepe (FC Porto): Não só o melhor central desta liga, como também um dos melhores jogadores. Imperial na defesa azul e branca, fez da capacidade física, poder de antecipação e impulsão e qualidade a sair com a bola desde trás as suas virtudes mais visíveis. Além disso, foi um perigo sempre que subiu à área adversária e a prova são os quatro golos que apontou. É hoje por hoje um dos melhores centrais da Europa. Segunda opção: Luisão (Benfica).

Anderson Polga (Sporting): Mais uma bela época do central canarinho, que com a sua classe habitual comandou com mestria a defesa leonina. É um central de categoria insuspeita, estivesse eu no lugar de Dunga e Luisão via os jogos do 'escrete' pela televisão. Segunda opção: Bruno Alves (FC Porto).

Léo (Benfica): Foi dos melhores elementos benfiquistas durante toda a época. Muito certo tanto a defender como a atacar, demonstrou uma tremenda regularidade exibicional, garantindo uma utilização quase ininterrupta no posto de lateral esquerdo. Segunda opção: Antunes (P.Ferreira).

Miguel Veloso (Sporting): Talvez a grande revelação desta edição da liga portuguesa. Central de raíz, a sua adaptação a médio defensivo foi um êxito e parece estar para durar. O seu soberbo pé esquerdo garante-lhe uma capacidade de passe (curto ou longo) quase inigualável em Portugal. Depois, revela já uma maturidade táctica impressionante, que faz com que se apresente como excelente escoador do ataque contrário e primeiro lançador da própria equipa. A comparação frequente com Fernando Redondo diz tudo acerca do seu valor. A Selecção Nacional espera por ele. Segunda opção: Petit (Benfica).

Katsouranis (Benfica): Terminou a época abaixo do que pode produzir, mas nos dois primeiros terços foi sucessivamente o melhor centrocampista do Benfica. Competente a nível defensivo, impressionou a capacidade com que se integra no ataque, ora a servir os companheiros, ora ele próprio a concluir as jogadas (facturou por seis vezes). Um médio de transição de categoria internacional, ou não fosse o grego titular indiscutível da selecção campeã europeia. Segunda opção: Kazmierczak (Boavista).

João Moutinho (Sporting): Autêntico símbolo da turma sportinguista apesar da tenra idade. Impressiona-me a sua maturidade e capacidade de liderança. Um médio moderno que defende, ataca, marca golos, assiste os colegas, corre os 90 minutos e puxa pelo colectivo. Tem tudo o que um jogador precisa para triunfar no futebol. É já um dos melhores médios europeus. Na minha opinião, foi o 3º melhor jogador deste campeonato. Segunda opção: Zé Pedro (Belenenses).

Quaresma (FC Porto): Que dizer do 'Harry Potter'? MVP da liga, rei das assistências, autor de seis golos (entre eles, o melhor deste campeonato, no Dragão, diante do Benfica), protagonista do maior número de lances de génio por segundo, trivelas para todos os gostos, olhos trocados, rins partidos, amarelos tirados, meio mundo atrás de si, enfim... O facto de ter terminado a época em baixo de forma, não pode nem deve apagar as fantásticas exibições que anteriormente protagonizara, as quais valeram pontos e mais pontos aos 'dragões'. Ricardo Quaresma no seu melhor. Segunda opção: Miccoli (Benfica).

Liedson (Sporting): Apesar de um início de temporada algo cinzento, o 'levezinho' continuou a deixar a pele em campo em todos os jogos, facto que, apesar da ausência de golos, lhe valeu elogios de Paulo Bento. Conseguiu encontrar-se ainda a tempo de se sagrar melhor marcador da prova com 15 golos. Técnica, capacidade finalizadora, generosidade, resistência, são algumas das características do abono de família verde e branco. Todos os atacantes que são convocados para a selecção brasileira são melhores que ele? Segunda opção: Dady (Belenenses).

Simão (Benfica): Foi o melhor jogador do Benfica, algo que não surpreende dado o rendimento elevado e constante que vem apresentando ano após ano. Marcou 11 golos e carregou os encarnados às costas durante grande parte da temporada. É um extremo competitivo e a sua ausência nos últimos jogos reflectiu-se numa quebra de performance colectiva. A seguir a Quaresma, o melhor da 1ª Liga 2006-07. Segunda opção: Nani (Sporting).

Jesualdo Ferreira (FC Porto): Foi o técnico número um deste campeonato, sagrou-se campeão nacional e, sendo a única voz do clube, resistiu estoicamente aos ataques de que foi alvo. Demonstrou ser um treinador inteligente, metódico e com forte carácter. Nem sempre concordei com as suas opções técnicas, mas é injusto reduzir a baixa de forma da equipa em 2007 a esse facto, ou a outros sistematicamente atirados para o ar como falta de liderança, de capacidade de motivação do grupo ou de personalidade aglutinadora de massas. José Mourinho houve um e não haverá mais nenhum, é urgente que os adeptos portistas percebam isto definitivamente. Ninguém tem de mudar a sua forma de ser e estar para se colar a um protótipo humano supostamente perfeito. Jesualdo Ferreira é, nesta altura, o homem certo para o FC Porto. No dia em que deixar de o ser, serei o primeiro a admití-lo, pois acima de tudo sou portista e torço pelo sucesso do clube. Segunda opção: Jorge Jesus (Belenenses).





Em 2007-08 voltará o espectáculo, certamente com novos motivos de interesse. Mudanças de jogadores, de treinadores, esperanças renovadas, expectativas recriadas, enfim, o costume...

10 comentários:

Paulo Pereira disse...

É uma escolha praticamente consensual, ressalvando logicamente a subjectividade de cada um. Nos guarda-redes, efectivamente Peçanha foi o nome k mais se destacou. Juntaria à lista o portista Helton k, apesar das recentes críticas de Miguel Sousa Tavares, fez um boa época (a excepção foi mesmo o jogo com o Chelsea) e Eduardo, o bracarense emprestado ao Beira-Mar, k revelou excelentes apontamentos (pese o monumental frango para a Taça contra o SCP). As laterais não permitem kk dúvida, pois Leo e Bosingwa foram reis e senhores nos seus corredores. Vamos lá a ver o k vale Lino, presumivelmente de azul e branco para o ano. Nos centrais, puxo a brasa à minha sardinha:) Bruno Alves e Pepe. Mas tb aqui a tua escolha é consensual. Polga realizou provavelmente a melhor época de leão ao peito. Revelação foi Kaz, a despertar apetites de clubes com outros argumentos. Katsouranis realizou uma excelente 1ª volta, tendo eclipsado-se na 2ª. Uma referência a outro grego, k me encheu as medidas este ano: Karagounis foi, qt a mim, um dos baluartes do meio-campo benfiquista. João Moutinho não permite kk discussão. Classe em demasia, numa maturidade invulgar. As alas apresentam os melhores jogadores da Superliga: Quaresma e Simão, com o portista a maravilhar todos os que viram a carreiram portista. Fabuloso!
Dady foi a grande surpresa nos avançados, onde Liedson continua a ser o Rei. Uma palavra de apreço para Adriano, pois de dispensável em Dezembro, tornou-se peça fulcral na equipa portista, sendo inclusivé o seu melhor marcador.

E agora k venha o resto, k o k a malta quer é a bola a rolar...

Bruno Pinto disse...

Paulo, não gostei mesmo nada da contratação de Lino, um brasileiro já com 29 anos de idade. É certo que realizou uma época boa, sendo titular indiscutível da Briosa, mas não terá nenhuma margem de progressão nem valorização. Não entendo este tipo de contratações, estou farto de compras tipo Mareque, Ezequias ou Alan, que nada trazem ao clube e andam lá apenas a ganhar dinheiro. Não seria preferível o jovem português Antunes que, dada a escassez de laterais esquerdos nacionais, chegará mais tarde ou mais cedo à selecção e sofrerá uma grande valorização, além de me parecer um jogador que daria garantias imediatas? Que te parece Paulo?

Tiago Pinto disse...

Olá Bruno:

Creio que o teu onze é muito consensual, no entanto, substituiria o Peçanha pelo Helton, isto porque, na minha opinião, quando o Porto precisou ele esteve lá e muitos pontos ele ganhou...Para além disso, Peçanha é um guarda redes que me agrade muito.

Para além disso, e apesar de gostar do Polga, para mim o Luisão é o melhor central a actuar em Portugal e este ano isso foi, para mim, muito evidente. Infelizmente lesiounou-se a 5 ou 6 jogos do fim e até por aí se percebe a categoria dele - vejam o Benfica depois dele se ter lesionado. De resto, perfeito. Uma nota para Bosingwa, que grande época...E não esquecer Lucho Gonzalez, porque no futebol o tempo manda e nós recordamo-nos mais do Miguel Veloso porque ele jogou os últimos 10 jogos do campeonato, mas se nos recordarmos ele passou a primeira volta quase sem jogar...

Boa selecção, imparcial e justa.
Gostei do blog,

Abraço,
Tiago Pinto
www.footballdependent.blogspot.com

PSousa*Bancada Directa* disse...

Bem são opiniões, sendo que alguns para mim concordo outros nem tanto...
Helton para mim o melhor, depois porque Ricardo foi quase totalista e só sofreu 15 golos, sendo dos guardioes da europa menos batidos...apesar de gostar de Peçanha.
Na defesa concordo absoluto, no meio-campo,uma excepção, apesar da 1 boa parte do campeonato Katsouranis fazer um bom percurso, acho que Andres Madrid do Braga, apesar de estar menos regular que no ano passado, merece mais o meu destaque, é mais jogador e foi bastante influente...no ataque em absoluto, e para treinador Jorge Jesus como primeira opção, pelo trabalho brilhante no campeonato e na Taça, e depois como 2 opçao o Paulo Bento, pois com equipa de formação fez um campeonato extraordinário, a um ponto do campeão e ainda ganhou a taça, para além de só sofrer duas derrotas no campeonato, pois Jesualdo teve muitos problemas de identidade que nos habituou nos outros clubes, sendo que nunca o Porto jogou um futebol brilhante, para além de ser bastante ...contestado pelos lados das Antas, algo que Paulo e Jesus são quase unanimes nacionalmente.

Mas são opiniões que respeito e compreendo...

Abraço amigo

Paulo Pereira disse...

Bruno, é como tu dizes: já nada me surpreende nas contratações efectuadas nos últimos tempos. Antunes era, claramente, uma belíssima contratação, sobretudo pelo margem de manobra a que aludes. Lino, salvo uma bem vinda surpresa, não será o lateral k queremos.

Um abraço,

Pedro Barata disse...

Uma boa escolha, Bruno, o que já seria de esperar em ti. Do teu onze apenas substituiria Miguel Veloso por Petit e Katsouranis por Karagounis. Miguel Veloso foi uma revelação mas apenas jogou o último terço da época de forma regular, Petit fez uma época em grande, tendo até marcado alguns golos.
No caso dos gregos, gosto muito de Katsouranis, mas Karagounis foi mais regular.
Destaco também aqui alguns jogadores não mencionados, porque não cabem todos como Ruben Amorim, Linz, Ricardo (Sporting) e, apesar da descida do beira-Mar, gostei muito do avançado brasileiro Edgar. Já quanto aos treinadores, daria o banco a José Mota ou a Jorge Jesus. Jesualdo foi campeão, mas se estivesse no Paços se calhar não punha a equipa em sexto lugar com tão reduzidos recursos.
De qualquer forma, aceito a tua escolha. Estás sempre em grande!
Um abraço

Sorín disse...

É, 3 brasileiros na sua seleção... Liédson já merecia uma chance na seleção a muito tempo, afinal ele é mto melhor q jô e rafael sóbis.

Fábio Monteiro disse...

Muito obrigado pelas palavras Bruno. Fiquei muito feliz com a comparação ao Ricardo Carvalho. O David Luiz é uma grande promessa e MEUS PARABÉNS À CONQUISTA DA LIGA PELO FC PORTO! Um abraço daqui do Brasil.

Ricardo disse...

Aqui no Brasil nós também achamos que o Liédson deveria ser chamado para a seleção, mas infelizmente o empresário dele não é amigo do Dunga (treinador da seleção) nem do Ricardo Teixeira (presidente da CBF), e hoje nossa seleção não reflete mais o desejo dos brasileiros, afinal somos obrigados a ver um tal Afonso do Hererven, jogador e clube que nenhum brasileiro sequer ouviu falar, na seleção no lugar do Liédson.

Aproveito para convidá-lo a conhecer o blog Renova Timão ( http://renova.timao.zip.net ) onde esponho idéias para melhorar o Corinthians, a seleção e o futebol no Brasil.

Anónimo disse...

Jesualdo foi o palhaço n.1 és mesmo facçioso.o jesualdo é uma merda de treinador, se valesse alguma coisa não saia do slb.tu não enxergas nada de futebol.não viste que se o campeonato tivesse mais 1 jogo ias ser campeão do entulho