terça-feira, 24 de abril de 2007

LIGAS EUROPEIAS AO RUBRO


Fazendo uma viagem pelos campeonatos mais importantes do Velho Continente, verifica-se que estão, na sua maioria, com a luta pelo título completamente aberta, o que é bom em termos de espectáculo e de cativação dos adeptos. A fase decisiva já chegou e a margem de erro é agora praticamente nula para os aspirantes a campeões.

De todas as ligas, o caso mais flagrante de incerteza e equilíbrio é a holandesa. Com apenas uma jornada por disputar, AZ Alkmaar, Ajax e PSV Eindhoven seguem com os mesmos 72 pontos e qualquer delas pode chegar ao ceptro. No entanto, a vantagem está claramente do lado do AZ de Louis Van Gaal, uma vez que possui um saldo positivo de 53 golos, contra os 47 do Ajax e os 46 do PSV. Recorde-se que, ao contrário do que acontece em Portugal, o primeiro factor de desempate é a diferença global de golos e não apenas no confronto directo. Na derradeira ronda, o AZ recebe o Excelsior e o PSV o Vitesse, ao passo que o Ajax visita o terreno do Willem II. Se vencer, a turma de Van Gaal deverá decerto fazer a festa, já que será preciso que ou Ajax ou PSV consigam goleadas absolutamente improváveis sobre os seus adversários. Mais emoção era impossível e o PSV de Ronald Koeman apenas tem de se queixar de si próprio por estar sujeito a esta situação, já que chegou a dispôr de uma larga diferença pontual na liderança superior à dezena.

Dos cinco campeonatos mais mediáticos, apenas o italiano e o francês já estão decididos, conquistados, respectivamente, por Inter Milão e Lyon, quando ainda faltam cinco jornadas para que ambos se concluam. De louvar o avolumar do palmarés dos dois portugueses Figo e Tiago, sendo esta também uma forma de dignificar o futebol nacional. Roberto Mancini, técnico do Inter, comandou uma equipa perfeitamente à parte das outras e venceu o Calcio de forma arrasadora. Pode alegar-se que, com o Milan a partir com oito pontos negativos e a Juventus na Série B, a tarefa interista ficou facilitada, mas a verdade é que, em 33 jogos, obter 26 vitórias e consentir apenas 1 derrota não é para todos e dá uma ideia da qualidade dos 'nerazurri'. Basta ver que o segundo classificado Roma soma 68 pontos e que o Milan poderia ter 64 (56 actuais + os tais 8), contra os 84 (!) da turma de Figo, Ibrahimovic e companhia. Em França, amplo domínio também para o Lyon, que acaba de conquistar o seu sexto título consecutivo. Sem adversários à altura, a formação de Gerard Houllier passeou classe e superioridade, detendo nesta altura 18 pontos de vantagem para o Lens, seu perseguidor mais próximo.

Em Inglaterra, a guerra continua acesa entre Manchester United e Chelsea, ou se preferirmos entre Cristiano Ronaldo e José Mourinho. Com três pontos de vantagem para o United e quatro jogos por disputar para as duas equipas, entre eles um... Chelsea-Manchester United em atraso, o duelo promete ser eferverscente até ao lavar dos cestos. Aliás, esta luta entre 'blues' e 'red devils' pode ganhar proporções ainda mais gigantescas: estão ambos qualificados para a final da Taça de Inglaterra, estão ambos com possibilidades de se qualificarem e encontrarem na final da Liga dos Campeões... Prometedor!

Em Espanha, o panorama não é muito distinto no que concerne ao grau de emotividade. Com sete jornadas a faltar, três equipas seguidas pontualmente na classificação: Barcelona 59, Sevilha 58, Real Madrid 57. Falou-se muito da crise do clube madrileno, mas o que é certo é que segue na corrida. Quem levará a melhor não se sabe, embora julgue que o Barça tem maiores probabilidades, não apenas pela vantagem pontual mas também porque simplesmente é a melhor equipa e possui os melhores trunfos individuais. O futuro o determinará.

Igual cenário de emoção a rodos existe na Alemanha: Schalke 04 líder com 62 pontos, Werder Bremen segundo com 60, Estugarda terceiro com 58, quatro jogos que restam. Com o brasileiro Diego em grande destaque, a provar que a sua venda pelo FC Porto não foi, de facto, um bom negócio, o Bremen pode ainda sonhar com a Bundesliga, embora precise da ajuda do Schalke para poder alcançar o comando.

Também com dois pontos a separar os dois primeiros está o campeonato belga. Quando faltam quatro jornadas para a sua conclusão, o Anderlecht assume-se como principal candidato (68 pontos), mas não se pode descuidar pois o Genk segue-lhe bem na peugada (66). Grécia e Escócia já conhecem os seus campeões 2006-07, embora os respectivos campeonatos ainda não tenham terminado. O Olympiakos triunfou no país campeão europeu, superando AEK Atenas e Panathinaikos. O Celtic, pois claro, foi o vencedor no país britânico, não dando quaisquer veleidades ao crónico rival Glasgow Rangers.

A Europa do futebol segue atenta aos seus campeonatos e torce para que haja emoção até onde fôr possível. Este é o maior espectáculo do mundo!

4 comentários:

Pedro disse...

Um artigo bastante interessante, Bruno. Parabens. E anseio pelos três encontros (tenho mesmo fé que vão ser três) entre Chelsea e Manchester United!

reinerio disse...

A venda do Diego foi sensacional. Deixar um jogador com tanto taleto no banco ou nem selecioná-lo é um deserviço ao futebol mundial. Agora ficou provado que o pai e empresário do cara tava certo. Pior para o Porto, pior Para Portugal!

bruno pinto disse...

Concordo que a venda do Diego foi mã em termos de negócio, pois ele actualmente vale exponencialmente mais. Mas ele no FC Porto nunca chegou a ter um rendimento satisfatório para a sua capacidade e custo. Além de que teve problemas disciplinares ao que parece. Mas como portista tenho pena...

Mautex disse...

Meu caro, estou retribuindo a sua elegante visita. Estou também lançando um projeto de futebol na web, o Ole!Ole! Sei que você já esteve lá. Se quiser, pode tanto escrever textos ou apenas recomendar os links do seu blog. abs Mauricio Teixeira, do blogdebola.com